Publicidade
Cotidiano
Notícias

Artur é 9 em promessas e 10 em superexposição

Dentre as obras anunciadas estão novas creches, revitalização de terminais de ônibus e irterligação do Proama à rede d’água 22/01/2013 às 12:03
Show 1
Enxugar a máquina pública foi uma das promessas feitas e já cumpridas por Artur. Ele reduziu, de 34 para 25, o número de secretarias
Lúcio Pinheiro Manaus

Os primeiros 20 dias de governo do prefeito de Manaus, Artur Neto (PSDB), mostram que o tucano se iguala ao ex-prefeito Amazonino Mendes (PDT) no tocante a emplacar novas promessas. Mas supera o antecessor no quesito superexposição.

Em menos de dez dias de mandato, Artur Neto fez pelo menos nove novas promessas. Outras foram anunciadas ainda na condição de prefeito eleito. No final de dezembro, o prefeito prometeu criar três Unidades Gestoras Municipais para atender ações emergenciais, como obras para a Copa do Mundo, distribuição de água e revitalização do Centro da cidade.

No dia 1º de janeiro, Artur se comprometeu em cortar custos para alcançar uma economia de R$ 200 milhões. O prefeito enfatizou que sua administração será “avarenta” para poupar e ter capacidade de investir.

Também no primeiro dia do ano, Artur afirmou que vai criar uma secretaria municipal de Segurança Pública. No dia seguinte, garantiu que vai realizar mutirões de limpeza em todos os bairros de Manaus pelo menos duas vezes por ano.

No dia 4, Artur anunciou reforma nos banheiros, pintura, consertos na iluminação, entre outros ajustes nos terminais de ônibus da Cidade Nova (T3), Jorge Teixeira (T4) e São José (T5).

Quatro dias depois, na segunda reunião com o secretariado, o prefeito afirmou que até o término dos primeiros 100 dias de mandato, o Programa Águas para Manaus (Proama) estará interligado à rede municipal de distribuição de água.

Ainda no dia 8 deste mês, o tucano garantiu que duas creches deixadas em construção por Amazonino serão inauguradas. No dia 9, Artur afirmou durante reunião com grupo do movimento de mulheres que vai analisar a reivindicação de criação de uma Secretaria da Mulher. E disse que pretende construir 3,5 mil casas populares, por meio da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Habitação (Seminfh), que serão entregues a mulheres.

Cumprindo
Ao reduzir de 34 para 25 o número de secretarias, Artur cumpriu parte da promessa de enxugar a máquina pública. Falta agora traduzir isso em números: mostrar quanto se economizou e onde vai investir.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).


Publicidade
Publicidade