Publicidade
Cotidiano
Notícias

Assembleia regional dos bispos do Brasil pretende valorizar trabalho de leigos

Bispos, padres e leigos do Regional Norte 1 estão reunidos no Centro e Treinamento Maromba, no bairro da Chapada, Zona Centro-Sul, para refletir sobre o tema 16/09/2014 às 14:22
Show 1
Dom Mário destaca o objetivo de transformar a paróquia em comunidade de comunidades, porque esse é o modelo proposto por Jesus Cristo aos seus filhos
Ana Celia Osssame ---

A valorização do trabalho missionário e do leigo, especialmente daquele que se afastou da igreja, mas ainda se identifica como católicos, serão temas importantes a serem debatidos na 42ª Assembleia Regional da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB Norte I), iniciada ontem no Centro de Treinamento Maromba, no bairro da Chapada, Zona Centro-Sul. De acordo com o bispo auxiliar de Manaus, dom Mário Antônio da Silva, que é vice-presidente do Regional Norte 1, essas serão as grandes vertentes da assembleia, que reúne bispos, padres, coordenadores de pastorais sociais e leigos.

Dom Mário explica que dos temas a serem tratados, o central é “Comunidades e a nova paróquia”, cuja discussão será à luz do documento número 100 da CNBB, aprovado na última assembleia da entidade realizada em Aparecida, São Paulo, que vem sendo estudado há dois anos nas comunidades e está sendo aplicado nas pastorais, paróquias e arquidioceses. “Sempre na dimensão missionária, estamos trabalhando bem a formação das pessoas da comunidade, buscando acolher os que nos procuram e ir atrás dos que se afastaram”, afirmou ele, explicando a dinamização desse sentimento de “missionaridade”, cujo significado é ir em busca dos afastados, não necessariamente os que passaram para outra religião, mas os que mesmo sem ir à igreja, identificam-se como católicos. Sem ter números para quantificar quantos estariam nessa condição, o bispo auxiliar indicar ser esse o terreno maior da missão, para redimensionar a vida da igreja intensificando o trabalho missionário.

LEIGOS

Outro tema que deverá dominar os debates será o que tratará do papel dos cristãos leigos tanto na igreja quanto na sociedade. Segundo dom Mário, a CNBB lançou um texto de estudo que tornou-se um documento oficial cuja tônica é destacar a importância da missão do leigo e da sociedade, na perspectiva de que “o leigo é a pessoa do mundo na igreja e uma pessoa da igreja no mundo”. Ao citar que muitas comunidades são coordenadas pelos leigos, que contam com a assistência de padres, mas que são dirigidas por eles, dom Mário afirma a grande importância desses cristãos na vida da igreja e da comunidade.

Publicidade
Publicidade