Publicidade
Cotidiano
Notícias

Atendimento a bebês prematuros e crianças com doença pulmonar inicia em dezembro, no AM

O novo ciclo do calendário da Secretaria de Estado da Saúde (Susam) inicia para que bebês prematuros e crianças de até 2 anos de idade estejam protegidos 19/11/2014 às 11:23
Show 1
O Palivizumabe é destinado a bebês prematuros e crianças até 2 anos com cardiopatia cianogênica ou doença pulmonar crônica
Jornal A Crítica Manaus (AM)

A Secretaria de Estado da Saúde (Susam) inicia, em dezembro, um novo ciclo do calendário anual de atendimento dos bebês prematuros de alto risco e de crianças até 2 anos de idade portadoras de cardiopatia cianogênica ou doença pulmonar crônica, que precisam receber o Palivizumabe.

Medicamento biológico de alto custo, produzido por engenharia genética, disponibilizado pelo Governo do Estado em parceria com o Ministério da Saúde, o Palivizumabe é recomendado para a prevenção das infecções causadas pelo vírus sincicial respiratório.

O VSR – como é mais conhecido o vírus – é o agente etiológico que causa as infecções respiratórias mais graves em crianças menores de um ano de idade, principalmente prematuras ou cardiopatas. O cronograma de aplicação do Palivizumabe é executado considerando a sazonalidade do vírus que, no Amazonas, circula entre os meses de janeiro a junho, período de maior intensidade das chuvas.

“Pelo terceiro ano consecutivo estaremos fazendo a aplicação do medicamento, adotando o Protocolo de Compartilhamento de Doses preconizado pelo Ministério da Saúde. Neste ciclo, devemos atender 50 crianças já cadastradas no programa e a previsão é de inclusão de mais 150”, informou o secretário estadual de Saúde, Wilson Alecrim.

No ciclo iniciado no final de 2013 e concluído em junho deste ano, o programa beneficiou 104 bebês, sendo 53 prematuros; 10 cardiopatas e 41 com doença pulmonar crônica. Para execução do calendário foram utilizadas 213 ampolas do medicamento, 80 enviadas pelo Ministério da Saúde e 133 adquiridas com recursos do próprio Estado. A previsão é que, neste ano, o Ministério dobre o número de frascos do medicamento disponibilizados para o Amazonas.

Novos pólos

Na segunda-feira, técnicos das maternidades estaduais Ana Braga, Balbina Mestrino e Instituto da Mulher Donal Lindu e também da maternidade municipal Moura Tapajóz participaram de um treinamento ministrado por técnicos do Ministério da Saúde e da coordenação local do programa. Eles discutiram os fluxos de dispensação do Palivizumabe e, principalmente, receberam informações sobre o funcionamento do Sistema Nacional de Gestão de Assistência Farmacêutica – o Hórus –, utilizado pelo Ministério.

O objetivo desta ferramenta é registrar informações fidedignas sobre o acesso, o perfil de utilização, a demanda e o estoque de medicamentos.

Vacinação contra o Sarampo é suspensa na rede pública

A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) e a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) divulgaram, na manhã desta terça-feira (18), uma Nota Técnica Conjunta em que recomendam a suspensão, no Estado, do uso da vacina Tríplice Viral produzida pelo Laboratório Serum Institute of Indian Ltda.

Os lotes da vacina foram enviados ao Amazonas pelo Ministério da Saúde para realização da campanha de imunização contra o Sarampo, iniciada no dia 8 deste mês, com previsão de se estender até o próximo dia 28. A recomendação não afeta o andamento da campanha de vacinação contra a Poliomielite, que prossegue normalmente.

De acordo com a nota técnica, a decisão foi tomada após o registro de casos de eventos adversos acima do esperado em crianças que receberam essa vacina na capital. Investigação caso a caso, realizada pelo Centro de Referências de Imunobiológicos Especiais (CRIE) do Estado, verificou que os registros estão relacionados à vacina produzida pelo Laboratório Serum.

Com a decisão, fica interrompida a campanha de imunização contra o Sarampo que pretende alcançar, neste ano, no Estado, 344,1 mil crianças.

Imunização contra Polio continua

A vacinação contra o Sarampo foi suspensa pelas secretarias de Saúde, mas a campanha contra a Poliomielite continua com a programação normal até o dia 28 deste mês, com a meta de imunizar 290,6 mil crianças em todo o Amazonas.

Publicidade
Publicidade