Publicidade
Cotidiano
Notícias

Atletas lançam desafio #alguemdobem em homenagem às crianças com câncer

A ideia é fazer com que outros atletas, se juntem ao movimento e também raspem o cabelo em amor, apoio, e homenagem às crianças com câncer 30/10/2015 às 10:35
Show 1
Os atletas rasparam o cabelo no salão Maison Luh, no Vieiralves, Zona Centro-Sul, e a renda do corte dos 12 atletas foi doada ao Instituto ALGUEM
Luana Carvalho Manaus (AM)

CONFIRA A GALERIA DE IMAGENS

CONFIRA O VÍDEO

Uma luta que começou há quatro anos, com a criação do Instituto ALGUEM (Ana Luiza e Giulia Unidas em Missão), ganhou apoio de atletas amazonenses que participarão da competição Iroman, uma das provas mais duras de triathlo, no dia 8 de novembro, em Fortaleza (CE).  Os atletas rasparam o cabelo e, a partir desta quinta-feira (29), iniciarão o desafio #alguemdobem nas redes sociais.

A ideia é fazer com que outros atletas, de várias modalidades, se juntem ao movimento e também raspem o cabelo em amor, apoio, e homenagem às crianças com câncer, assim como aconteceu com o desafio do balde de gelo, que conscientizou milhares de pessoas sobre a esclerose lateral amiotrófica (ELA) em 2014.

Foto: Winnetou Almeida


Desde o ano passado, pelo menos 76 novas crianças foram diagnosticadas com leucemia na Fundação de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (FHemoam). Nas duas últimas semanas, foram seis diagnósticos, enquanto a taxa mensal normalmente varia entre três ou quatro novos casos. 

“Não é que esteja aumentando o número de crianças com câncer, mas a informação sobre a doença está sendo mais divulgada e o resultado são diagnósticos mais precoces, o que facilita o tratamento e aumenta as chances de cura”, explica a hematopediatra Socorro Sampaio. 

O médico e atleta Euler Ribeiro Filho foi quem propôs o desafio aos amigos. Há pouco mais de quatro anos ele entrou na luta contra a leucemia, que acometeu seu filho mais velho, hoje com 12 anos. “Sempre estamos buscando conscientizar as pessoas com os fatores inseridos em nossos contextos, mas que às vezes não temos como informar e tentamos exemplificar através do esporte”.

Para ele, o desafio de correr em prol de ‘alguém’ e a parceria com o Instituto pode ajudar muitas crianças no tratamento contra o câncer. “Costumo dizer que quando corro, procuro me fortalecer nos pilares que são meus filhos, minha esposa e meus pais. Agora temos outra causa para lutar e o objetivo é chamar atenção dos nossos governantes para o amparo no tratamento de pessoas que sofrem com câncer”.

O atleta Fabrício Lima, que participará pela 11º vez da competição, conta que a expectativa de adesão de demais atletas é grande. “Quando começamos a postar que iríamos fazer o desafio, muitos ficaram curiosos para saber do que se tratava. Como a ideia é sensibilizar as pessoas da importância do tratamento, do diagnóstico precoce e também informar sobre as causas, o apoio das pessoas ligadas ao esporte será muito importante”.

Além disso, todos os atletas amazonenses que cruzarem a linha de chegada, farão uma doação ao Instituto. “Tentaremos mobilizar outros competidores para também fazerem suas doações, pois a ideia é que outras crianças tenham acesso ao tratamento e hospitais adequados. Não tenho dúvida que sensibilizando todo mundo, esse sonho pode se tornar realidade”. 

Ação do bem

Os atletas rasparam o cabelo no salão Maison Luh, no Vieiralves, Zona Centro-Sul, e a renda do corte dos 12 atletas foi doada ao Instituto ALGUEM.

No dia 23 de novembro, quando é comemorado o Dia Nacional de Luta contra o Câncer Infantil, a ação se repetirá. Desta vez, 50% da renda de todos os cortes de cabelo, seja de crianças ou adultos, homens ou mulheres, será revertido em apoio à causa.

Instituto ALGUEM

O Instituto ALGUEM é uma organização sem fins lucrativos, criada em outubro de 2011, pelas famílias de Ana Luiza e Giulia, que faleceram em 2011 vítimas de câncer. Ambas as histórias tiveram repercussão nacional, sendo símbolo de força e mobilização para centenas de pessoas.

Em quatro anos, o Instituto já apoiou 82 crianças com suporte técnico, financeiro e emocional às famílias foram de seu ambiente familiar. 

Publicidade
Publicidade