Publicidade
Cotidiano
Notícias

Atraso nos investimentos dificulta desenvolvimento tecnológico no AM

O dado foi usado pelo ministro do Tribunal de Contas da União, Augusto Nardes, na elaboração de proposta para diminuir o descompasso 20/11/2013 às 08:38
Show 1
Augusto Nardes (segundo à esquerda), o vice-governador José Melo, o prefeito Artur Neto, e o presidente do TCE, Érico Desterro
Paola Paiva Manaus, AM

O atraso de investimentos em cada Estado brasileiro será discutido estrategicamente pelo Tribunal de Contas da União (TCU). A informação é do presidente do órgão, ministro Augusto Nardes que usou um dado do Amazonas para apresentar a proposta: “O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) revelou recentemente que apenas 36% dos alunos conseguem concluir o ensino médio no Amazonas. A pergunta que fica é a seguinte: por quê? Por que as governanças não conseguem entregar uma boa educação para a população?”

Uma das propostas apresentadas pelo presidente do TCU para solucionar problemas dessa ordem é promover discussões sobre o atraso de investimentos em cada Estado. Segundo o presidente do tribunal, é preciso questionar os dados que revelam precariedade na gestão pública.

O ministro Augusto Nardes,  afirmou é preciso melhorar as gestões administrativas para combater a corrupção existente no País. Ele participou nessa terça-feira (19) do encontro “Diálogo Público - Para Melhoria da Governança”, realizado no auditório do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM). De acordo com o ministro, a corrupção só existe por conta da má gestão pública, que facilita as atividades fraudulentas e a ocorrência de roubos em um g  overno. “Dependendo da gestão, há quem tenha a capacidade de transformar o governo na casa da mãe Joana”, comparou o presidente do TCU.

A consequência disso, segundo Nardes,é que o governo acaba caindo no grande gargalo burocrático que gera mais atrasos nos investimentos que deveriam ser feitos na área da saúde e da educação. “Dessa forma, é através dessas auditorias que estão sendo feitas em todo o país, que será possível avaliar a qualidade da gestão pública em cada estado” avaliou o presidente do Tribunal de Contas da União.

Para o ministro, todos esses problemas são um reflexo da falta de planejamento público e conscientização dos gestores públicos que não prestam um bom serviço para o povo. “Prefeitos e governantes ainda não conseguem ter a consciência de que se deve trabalhar com transparência na prestação de contas.  Eles resolvem tudo na pressão da semana e não pensam a longo prazo”.

O TCU vai apresentar hoje, em Brasília, o balanço feito durante as audiências realizadas em todo o País. Como adiantou Nardes, as pesquisas feitas pelo TCU conseguem medir o nível de problema em cada região.

Leia mais na edição do Jornal A Crítica desta quarta-feira (20)

Publicidade
Publicidade