Terça-feira, 10 de Dezembro de 2019
Notícias

Audiência de travestis amazonenses é antecipada pela justiça de Dubai

Karen e Kamilla foram detidos por serem travestis, durante uma viagem turística à Dubai (Emirados Árabes Unidos), em dezembro do ano passado. A audiência acontecerá no próximo dia 5 de fevereiro, a decisão alegrou a dupla, que é amazonense



1.jpg As cabeleireiros e maquiadoras Karen Mke, 38, e Kamilla Satto, 33, foram para Dubai em uma viagem turística no fim de novembro
23/01/2014 às 12:44

Após o portal A Crítica ter divulgado o caso das amazonenses Karen Mke, 38, e Kamilla Satto, 33, que foram detidos por serem travestis, durante uma viagem turística à Dubai (Emirados Árabes Unidos), o Ministério das Relações Exteriores do Brasil (MRE) informou nesta quinta-feira (23) que a segunda audiência dos amazonenses - que aconteceria apenas no dia 23 de março - foi antecipada para o próximo do dia 5 de fevereiro. A matéria ganhou repercussão nacional e tem sido amplamente divulgada pelos veículos de comunicação.

A decisão alegrou os travestis, que torcem pela sua deportação. De acordo com Luiz Eduardo, da assessoria de imprensa do Itamaraty, a audiência foi adiantada por conta da intermediação de um funcionário diplomático da Embaixada Brasileira de Abu Dhabi (capital do país) junto à promotoria do caso.



“A Embaixada tem dado todo apoio jurídico e consular necessário para a resolução do caso dos brasileiros presos por se vestirem de mulher. Essa antecipação da audiência foi uma conquista dessa intermediação. Assim, o julgamento poderá ter uma resposta positiva sobre a deportação em um prazo menor”, salientou.

Questionados sobre a ajuda de custo, o funcionário do Itamaraty informou que, os dois têm recebido uma assistência financeira de amigos e parentes do Brasil. Ainda segundo o assessor, assim que for verificada a necessidade ou solicitada pelos brasileiros, a Embaixada fornecerá o apoio necessário.

Relembre o Caso

Karen e Kamila tiveram os passaportes confiscados pela polícia de Dubai após serem expulsas por seguranças de uma boate no mês de dezembro do ano passado. A dupla permaneceu detida por dois dias na delegacia local e atualmente aguarda julgamento do caso para saber se volta ou não ao Brasil. Segundo o MRE, elas violaram a lei islâmica local, que não permite a circulação de travestis, e podem ser deportados de acordo com a decisão.

Apoio em petição

Amigos e parentes das travestis, além de artistas, pedem apoio da população brasileira, por meio da assinatura de uma petição disponível na internet. O objetivo é entregar para a Embaixada Brasileira no país e pedir que interceda na justiça de Dubai, pela repatriação durante o julgamento.



Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.