Publicidade
Cotidiano
Notícias

Aumento da tarifa de energia elétrica não afeta o Amazonas

Ele valerá para todo o País exceto para o Amazonas, Amapá e Roraima, pois eles ainda não estão plenamente conectados ao Sistema Interligado Nacional 28/02/2015 às 12:53
Show 1
Pela regra, o acréscimo passa de R$ 3 para R$ 5,50 a cada 100 kilowatt-hora (kWh) consumidos
JORNAL A CRÍTICA Manaus

Começa a ser aplicado na próxima segunda-feira (2) o novo valor das bandeiras tarifárias, sistema que permite aumentos mensais sobre o preço da energia. Por decisão da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) haverá um aumento de 83% sobre o valor vigente para a bandeira vermelha.

As bandeiras valem para todo o País exceto para os Estados do Amazonas, Amapá e Roraima, pois eles ainda não estão plenamente conectados ao Sistema Interligado Nacional. 

Pela regra, o acréscimo passa de R$ 3 para R$ 5,50 a cada 100 kilowatt-hora (kWh) consumidos. Esse será o novo valor teto, ou seja, o máximo que pode ser aplicado ao mês e que representa momento de elevado custo para compra de energia em todo setor. No mês de março, assim como em janeiro e fevereiro, a bandeira aplicada será a vermelha.

Para a bandeira tarifária amarela - quando gastos com usinas térmicas estão fora do padrão, mas não extremamente elevados-, o preço vai passar de R$ 1,50 a cada 100 kWh consumidos para R$ 2,50. Um aumento de 66,7%.

Os novos valores passaram por um curto período de audiência pública ao longo deste mês de fevereiro, entre os dias 9 e 20. A faixa verde, terceira e última do sistema de bandeiras tarifárias, segue o mesmo desenho do sistema original e não deve traz nenhum aumento para os consumidores. 

Diferentemente do que era feito até este mês de fevereiro, a escolha da bandeira tarifária, quando feita, valerá para todo país. Assim, deixa-se de definir a cor da bandeira regionalmente. A previsão é de que eles integrem o mesmo sistema a partir de julho de 2015. 

Promessa

Antes da aprovação dos novos valores, o ministro Eduardo Braga (Minas e Energia), havia garantido que o aumento não seria superior a 50%. Em 2014, a bandeira vermelha foi aplicada em praticamente todos os meses em todas as regiões do País, exceto em janeiro, quando ela foi amarela para todas as regiões.

Em julho, a bandeira também foi amarela, mas apenas para a região Sul. A arrecadação máxima no ano pelo modelo anterior das bandeiras tarifárias seria de R$ 10,6 bilhões (mantendo o sinal vermelho ao longo de todo o ano). Com a mudança aprovada pela Aneel, a arrecadação pode chegar a R$ 17 bilhões em 12 meses.

Publicidade
Publicidade