Terça-feira, 23 de Abril de 2019
publicidade
brumadinho_DEC34C3A-73DD-404B-8466-C140A499F304.JPG
publicidade
publicidade

MINAS GERAIS

Autoridades descartam risco de rompimento de outra barragem em Brumadinho

Buscas por sobreviventes em Brumadinho são retomadas após a Defesa Civil descartar risco de rompimento de outra barragem


27/01/2019 às 15:26

O tenente-coronel Flávio Godinho, coordenador da Defesa Civil de Minas Gerais, informou há pouco que foram retomadas as buscas por sobreviventes do rompimento da barragem de rejeitos mineradora Vale em Brumadinho, ne região metropolitana de Minas Gerais, que ocorreu na sexta-feira (25). As buscas haviam sido suspensas por causa do risco de rompimento da barragem número 6, que é de água. Godinho afirmou ainda que não haverá mais retirada de moradores.

"Retomamos para o risco um [em uma escala de um a três de risco de rompimento]. A barragem não oferece risco para as pessoas que moram lá e nem para os bombeiros", disse há pouco em entrevista aos jornalistas em Brumadinho.

Godinho afirmou que os moradores, que tinham sido deslocados, podem retornar às suas casas. "Podem retornar para suas casas".

Cerca de 30 minutos antes, o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais havia informado que o risco de rompimento da segunda barragem na Mina Córrego do Feijão, era no nível dois, em uma escala de um a três. Devido ao risco de rompimento, cerca de 3.000 pessoas seriam retiradas de casa

Segundo o Corpo de Bombeiros, a água da barragem está sendo bombeada para reduzir o risco. No momento, conforme o Corpo de Bombeiros, a barragem tem um volume de água equivalente a 840 mil metros cúbicos.

De acordo com Godinho, se houver mudança no nível, a população será avisada.

publicidade

O prefeito de Brumadinho, Avimar de Melo Barcelos, confirmou que não há risco de rompimento da segunda barragem. "A gente acredita que essa barragem não vai estourar, porque ela está sendo esvaziada e monitorada. Ela não vai estourar, temos plena certeza", afirmou.

Barcelos diz que a prefeitura aplicou uma multa de R$ 100 milhões à mineradora Vale, pelos danos causados ao município com rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão. Barcelos esteve há pouco com o presidente da Vale, Fabio Schvartsman. Segundo Barcelos, a Vale irá custear todas as despesas com a realocação de moradores retirados de suas residências após o desastre.

Acesso

A entrada da cidade será liberada, disse o chefe da Defesa Civil.

Sirenes e evacuação

Por volta das 5h30 da manhã de hoje (27), a companhia Vale acionou as sirenes de alerta pedindo para que os moradores deixassem suas casas, parte foi levada para pontos de encontro dentro do plano de emergência. Em comunicado, a Vale informou que havia sido detectado aumento dos níveis da água na região da Mina Córrego do Feijão. A barragem faz parte do complexo de Brumadinho.

publicidade
publicidade
Paulo Guedes diz que Brasil não pode pagar pela Zona Franca de Manaus
Sobe para 224 número de mortes por rompimento de barragem em Brumadinho
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.