Publicidade
Cotidiano
Notícias

Avião cai em Tabatinga (AM) com quatro passageiros e um piloto

Aeronave de pequeno porte ia de Ipiranga para Tabatinga e caiu em área de mata fechada próximo ao aeroporto da cidade. O tempo estava ruim no momento da queda 12/03/2015 às 12:27
Show 1
Avião caiu próximo ao aeroporto de Tabatinga
ACRITICA.COM Manaus (AM)

Um avião de pequeno porte, modelo Cessna 210 PTJEE, caiu nas proximidades do aeroporto do município de Tabatinga, localizado a 1.105 quilômetros de Manaus, na noite de quarta-feira (11). Quatro passageiros e um piloto estavam na aeronave. Eles tiveram ferimentos leves e sobreviveram. As informações foram confirmadas pela Aeronáutica.

Segundo o capitão Nascimento, do Sétimo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa 7), o avião ia da localidade de Ipiranga para Tabatinga. Segundo fontes locais, por volta das 19h as condições metereológicas na região estavam ruins e pioraram, e o aeroporto de Tabatinga teve que ser fechado.

Quando o avião se aproximava do destino final, o piloto teve que circular na região para aguardar condições favoráveis ao pouso, o que fez durante aproximadamente 15 minutos. Porém, por volta das 19h25, o avião acabou caindo em uma área de mata fechada em uma comunidade vizinha ao aeroporto, nas proximidades da cabeceira da pista de número 30.

As causas do acidente não são conhecidas, o que deverá ser revelado após investigação do Seripa 7. As vítimas foram levadas para o Hospital de Base do Exército, em Tabatinga, e passaram por avaliação médica. Segundo capitão Nascimento, um dos passageiros teve a perna quebrada. “Todos sobreviveram. Eles tiveram ferimentos, só um quebrou a perna”.

A aeronave não explodiu, mas o local da queda era de difícil acesso para as equipes de resgate. “São duas horas de caminhada da pista até o local, por isso a dificuldade de investigar”, disse Nascimento. Segundo ele, uma equipe do Seripa 7 viajará às 16h desta quinta (12) para Tabatinga. “O Exército está conservando o local para que as pessoas não se aproximem”, ressaltou o capitão Nascimento.

Publicidade
Publicidade