Quinta-feira, 17 de Outubro de 2019
Setor primário

Balcão de Negócios é oferecido pela ADS aos produtores rurais

Produtores rurais podem contar com ‘Balcão de Negócios’ para alavancar a economia do setor primário no Estado do Amazonas.



Foto_1.jpg A Feira do Cassam reinaugurou no sábado, 13 de agosto. Foto: Divulgação/ADS
15/08/2016 às 05:00

Produtores rurais podem contar com ‘Balcão de Negócios’ para alavancar a economia do setor primário no Estado do Amazonas. A meta é atender 1.500 produtores e gerar, pelo menos, R$ 1,5 milhão por mês.

A nível nacional, 38% do valor do Produto Interno Bruto (PIB) é proveniente de agronegócios. Pensando nisso, a iniciativa da Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS) é disponibilizar técnicos na Feira do Clube dos Suboficiais e Sargentos da Aeronáutica (Cassam) para atender os produtores que desejam fazer parte do programa de negócios.



O presidente da ADS, Lissandro Breval, ressalta que o balcão é uma parceria do sistema Sepror (Secretaria de Produção Rural do Amazonas) com o Fundo de Promoção Social. “O que vai possibilitar ainda mais a comercialização, (...) agora com a iniciativa privada. Nós estamos fazendo a ligação com supermercados, com varejões, com os restaurantes, com as cozinhas industriais, transformando todo esse pessoal e acaba transformando a feira em um grande mostruário”, explicou.

O Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (IDAM) está contribuindo para formar o banco de dados do programa com informações dos produtos que precisam de escoamento. “É importante salientar que o IDAM, nesse momento, que está presente nos municípios da Região Metropolitana e dá essas informações para nós”, disse Breval.

De acordo com o presidente da Agência, o foco é fazer a ponte entre o produtor e o comprador. “Vamos trabalhar para não desanimar o produtor e, claro, fazer esse link porque existe uma grande distância, ainda, do produtor para o comprador”, contou.

Os principais entraves do setor primário são a logística e o tempo para a entrega. A ADS, então, organiza as associações, cooperativas, produtores individuais. “O legal de tudo isso é que tem sido muito gratificante. Nós chegamos ao empresário e o empresário valoriza isso, porque ele sabe que está vindo da nossa terra”, destacou.

A estimativa é que as empresas deixem de importar e passe a consumir a produção amazonense. “O que me deixa muito angustiado é quando chego a uma empresa de refeição e 80% dos insumos ela está trazendo de fora”, revelou o presidente da ADS.

Para participar do Balcão de Negócios, o critério utilizado é ser produtor rural, comprovar a produção. Posteriormente, a Agência faz uma visita in loco para conhecer as necessidades do produtor. O cadastro pode ser realizado de segunda a sexta-feira na própria sede da Agência ou aos sábados que a Feira do Cassam esteja em funcionamento (a cada 15 dias - a próxima data é 27 de agosto).

Diferencial

Uma ação inovadora de sustentabilidade que será realizada em dias de feira é a reciclagem de resíduos produzidos. Uma parceria entre a ADS e a empresa Agrorios transformará o lixo orgânico em adubo e alimentação para outros animais. “Todo o lixo da nossa feira, que é resíduo orgânico, 95% é composto de resíduo orgânico, vai ser reciclado. Vai ser reciclado. É uma ação nova e a gente espera ampliar com essa experiência, mostrar que é sustentável, que vale a pena se fazer isso”, informou o presidente.

Além disso, um setor para produtos orgânicos será implantado na Feira do Cassam. Ao todo 54 itens regionais são comercializados, assim como peixe e produtos processados como os doces e as polpas. “Praticamente todos os produtos são orgânicos, muitos não são certificados, por uma questão ou outra, mas a agricultura familiar dificilmente usa agrotóxicos. Estamos vendo a questão da legislação para criar dentro das nossas feiras um setor de orgânico (...) porque é a saúde que vem para o nosso prato”, destacou Lissandro Breval.

Cursos Empresariais

Com o objetivo de qualificar os produtores rurais por meio do Balcão de Negócios, a Agência disponibilizará cursos do âmbito empresarial em parceria com o Sesi e, principalmente o Sebrae. Formatação de preço, empreendedorismo, incubadora de negócio são algumas das temáticas abordadas.“Estamos concedendo as noções básicas de comercialização, empreendedorismo, formatação de preços, para que saiba negociar, saiba atender tanto na feira como empresarial. Era uma distância mesmo. Estamos tentando incluir a mentalidade empresarial no agricultor”, assegurou Breval.

O profissionalismo é cobrado pela população que faz uso dos serviços e produtos do setor primário. “As pessoas estão mais exigentes, chegando na feira querem um produto com uma qualidade melhor, com uma apresentação melhor, um atendimento melhor”, contou.

A exemplo disso, Conceição Simões, costuma frequentar as feiras de Manaus buscando sempre o melhor preço. “Todas as vezes que tem feira no Cassam eu vou. Gosto de comprar porque os produtos são fresquinhos. Compro tucumã, abacaxi, goma para tapioca, pimentão e demais verduras”, relatou a aposentada.
 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.