Publicidade
Cotidiano
Notícias

Bancada amazonense propões emendas de R$ 2,5 bi ao Orçamento da União para 2015

Valor corresponde a 15 emendas apresentadas coletivamente e outras emendas individuais da bancada federal do Amazonas ao projeto de Lei Orçamentária da União para o ano que vem 17/12/2014 às 14:55
Show 1
Participaram da reunião Eduardo Braga, Vanessa, Alfredo Nascimento, Rebecca Garcia, Silas Câmara, Henrique Oliveira e Pauderney
Antônio Paulo Brasília (Sucursal)

Um ano depois da última reunião, e após as eleições de 2014 – que racharam a bancada parlamentar do Amazonas no Congresso Nacional – deputados e senadores se encontraram nesta terça-feira (16), no gabinete do líder do Governo no Senado e coordenador do grupo, Eduardo Braga (PMDB-AM), para definição das 15 emendas coletivas ao Orçamento da União de 2015 que ficaram no valor estimado de R$ 2,36 bilhões.

Somando os R$ 179,52 milhões que os parlamentares vão apresentar com emendas individuais (R$ 16,32 milhões cada um), a proposta orçamentária dos 11 membros da bancada amazonense totalizará R$ 2,5 bilhões.

Embora a reunião tenha transcorrido sem sobressaltos, disputas visíveis ou debates políticos-eleitorais, a distribuição das emendas de bancada revelou a formação de maioria entre a tropa do governador José Melo/Omar Aziz e a de Eduardo Braga.

A mostra disso é volume de emendas e recursos carreados para o Governo do Estado. Das 15 emendas, Melo ficou com seis, num total de R$ 1,1 bilhão. O grupo de oposição se revezou na apresentação de emendas ao Amazonas, mas via União/Ministérios ou aplicando diretamente aos municípios, reunindo cinco propostas no valor total de R$ 530 milhões.

O interior, representado na reunião pelos prefeitos de Maués (Padre Carlos) e de Tabatinga (Raimundo Caldas/Calango) ficou com duas emendas que somadas chegam a R$ 430 milhões.

Boicote

Outra prova de que o resultado das eleições deste ano influenciou na repartição do “bolo orçamentário” do ano que vem é a quantidade de emendas destinadas à Prefeitura de Manaus.

Mesmo que o prefeito Arthur Neto (PSDB) tenha enviado emissários à reunião com quatro propostas e ter anunciado nas redes sociais que faria pedidos pessoais aos parlamentares, o tucano amealhou somente duas emendas: uma a que tem direito, entre as 15, e outra do deputado Luiz Fernando (PSD), no valor total de R$ 300 milhões, sendo R$ 200 milhões para reforma e adequação de escolas de tempo integral.

A segunda emenda indicada por Arthur, no valor de R$ 100 milhões, foi para obras de macrodrenagem e controle de erosão marinha e fluvial. Comenta-se nos bastidores que parte da bancada federal pró-José Melo está magoada com o prefeito de Manaus por causa da arrojada campanha para eleger o filho dele, Arthur Bisneto, o deputado federal mais votado (255 mil votos) do Amazonas e que, para tal, o tucano teria adentrado sem dó nem piedade nos redutos eleitorais dos companheiros de coligação.

Satisfeito com o resultado da reunião e com as emendas destinadas ao Governo do Estado, o deputado federal e vice-governador eleito, Henrique Oliveira (SD-AM), disse que prevaleceu a grandeza da bancada de deputados e senadores. “Aqui só houve convergência em defesa dos interesses do Amazonas. As divergências ficaram na campanha e todo mundo já desceu do palanque”, minimizou.

Publicidade
Publicidade