Publicidade
Cotidiano
Notícias

Bancários rejeitam contraproposta e mantêm greve no Amazonas

A Fenabran sinalizou a intenção de reajustar o vencimento da categoria, de 6,1% para 7,1%. Os bancários, que estão paralisados há 19 dias, lutam para que o número seja elevado para 11,93%, entre outros benefícios cobrados 07/10/2013 às 20:12
Show 1
O comando Nacional dos Bancários considerou a “melhoria irrisória” e orientou as federações e sindicatos a rejeitar o ganho salarial de 0,97% – parcela acima da inflação de 6,1% acumulada nos últimos 12 meses
JOELMA MUNIZ* Manaus (AM)

Acompanhando a decisão dos outros sindicatos espalhados pelo Brasil, o Sindicato dos Bancários do Amazonas recusou a contraproposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenabran) e continua com 86% das agências bancárias do Estado com operações paralisadas. A Fenabran sinalizou a intenção de reajustar o vencimento da categoria, de 6,1% para 7,1%, sem sucesso.

Os bancários lutam para que o número seja elevado para 11,93% (aumento real de 5%), além da valorização do piso salarial e dos vales refeição e alimentação, entre outros benefícios.

De acordo com o presidente do sindicato no Amazonas, Nindberg Barbosa dos Santos, a decisão em Manaus foi feita por unanimidade.

“Esperamos uma nova contraproposta nesta terça-feira, mas de antemão já avisamos que as assembléias gerais continuarão acontecendo”, disse, em conversa coma reportagem de ACRITICA.COM.

Conforme dados fornecidos pelo presidente, só a capital Manaus possui 125 agências bancárias que há 19 dias estão com ou com as atividades completamente suspensas ou atendem com o quadro de funcionários reduzido.

“Estão funcionando algumas unidades do Bradesco, Itaú e HSBC”, avisa.

Pelo Brasil

O comando Nacional dos Bancários considerou a “melhoria irrisória” e orientou as federações e sindicatos a rejeitar o ganho salarial de 0,97% – parcela acima da inflação de 6,1% acumulada nos últimos 12 meses.

No início desta noite, a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) divulgou nota destacando a participação “massiva” de trabalhadores nas assembleias desta segunda-feira, que rejeitaram a proposta da Fenaban. Segundo os bancários, nesta segunda-feira 11.717 agências e centros administrativos de bancos públicos e privados foram paralisados em todo o país.

Os efeitos da greve já aparecem no mercado financeiro. O Indicador Serasa Experian informou que o número de pessoas em busca de crédito diminuiu 9,8% em setembro, em comparação com o total de agosto, em razão da greve iniciada dia 19 do mês passado.

A  Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas estima perdas significativas nas vendas do comércio, em níveis até 30%, em regiões como o Nordeste, onde o uso de dinheiro no varejo é mais intenso.

*Com informações complementares da Agência Brasil

Publicidade
Publicidade