Sexta-feira, 24 de Maio de 2019
Notícias

Bebedeira pode causar problemas à saúde para além da ressaca

Mesmo após o nível de álcool no sangue ser zerado na ressaca, o efeito de alteração de problemas cognitivos pode persistir. Saiba como driblar situação



1.jpg
Especialistas alertam que o consumo de álcool em excesso pode causar problemas de saúde além da ressaca
04/01/2016 às 11:49

Com as de festas de fim - e início de ano, quando o consumo de álcool aumenta, os perigos crescem também. E não se limitam aos trágicos índices de mortes em acidentes de trânsito, boa parte deles são provocados pela imprudente mistura de álcool e direção: beber em excesso pode acarretar danos à saúde que vão bem além do enjôo e dor de cabeça de uma  ressaca.

Uma pesquisa realizada pela Universidade Keele, na Grã-Bretanha, revelou que os problemas cognitivos causados pelo consumo de bebida alcoólica podem persistir mesmo após o nível de álcool no sangue ser zerado, afetando funções como a memória, raciocínio e reflexo.

Por isso, A CRÍTICA conversou com especialistas, como com a psicoterapeuta Carla Dimarães, que deram orientações de como evitar exageros nessa época do ano e poupar o organismo -  e os amigos e parentes. “É comum, nas festas de fim ano as pessoas exagerarem um pouco a mais, até atingirem o nível de embriaguez”, analisou.

A especialista alerta que todo consumo de álcool compreende danos à saúde, especialmente em excesso. “Por isso foram estabelecidos padrões de consumo de álcool. Esses padrões trazem menores riscos à saúde, daí a orientação: se for beber, que o faça moderadamente”, alerta.

De acordo com o que preconiza a Organização Mundial de Saúde (OMS), esse “limite” do bom senso é de até 15 doses semanais para os homens e 12 doses para as mulheres. Por dia, a OMS estipula um padrão de, no máximo, duas doses diárias para eles e, para elas, uma dose, o que corresponde a 350 ml de cerveja, 150 ml de vinho ou 40 ml de bebidas destiladas.

Quem ultrapassa esse “limite” pode acarretar prejuízos que, mais tarde, poderão culminar em problemas que vão de uma intoxicação por álcool até cirrose e pancreatite, alerta Dimarães. “Ele pode desenvolver inflamação no estômago, no esôfago, fígado gorduroso, uma hepatite, cirrose hepática, pancreatite, deficiências vitamínicas e até câncer. Sem falar nos transtornos mentais. As mulheres grávidas podem ter a gestação prejudicada”, lembrou.

De acordo com ela, estudos apontam que a ressaca atinge de 50% a 75% das pessoas que consomem álcool em excesso. “O álcool é uma droga ingerida, desse modo ele demora um pouco mais até fazer efeito no organismo. Enquanto isso, o indivíduo continua ingerindo volumes e volumes de álcool”, enfatizou.

Receitas

Receita popular ‘anti-ressaca’, o consumo de água, refrigerante e comidas gordurosas, como caldos, é a “estratégia” dos estudantes João Ricardo Oliveira, 22, e Gabriel Souza, 20, para a “temporada” de festas. Gabriel, que diz beber “apenas socialmente”, confessa que costuma exagerar nas férias e a consequência é a ressaca. “Procuro beber bastante água na festa e, antes de ir para casa, paramos para lanchar ou tomar um caldo. Mesmo assim, às vezes ela (a ressaca) vem”, brincou.

E não é à tôa. Uma pesquisa feita na Holanda revelou que beber água, refrigerante ou comidas gordurosas após a ingestão de álcool não combate a ressaca.

De acordo com um dos  autores do estudo, Joris Verster, da Universidade de Utrecht, para evitar a ressaca, só bebendo menos. “Quanto mais você bebe, mais provável é que tenha uma ressac. Beber água pode ajudar contra a sede e boca seca, mas não vai acabar com o mal-estar, a dor de cabeça e as náuseas”, alertou.

Alerta

Ressaca significa mal-estar e é a maneira que o organismo tem de lembrar que o nosso corpo está consumindo álcool em excesso. A ressaca começa, em média, seis a oito horas depois que o álcool entra em contato com o nosso sangue e pode durar até 24 horas.

Sintomas

Os principais sintomas são: dor de cabeça, fadiga, náuseas, falta de apetite, tremores ou sensação de estar trêmulo, tontura, falta de concentração, desconforto gastrointestinal, transpiração demasiada, alterações no sono, ansiedade e irritabilidade.

Recomendações

A ressaca se caracteriza por vários efeitos físicos e mentais e isso varia de pessoa para pessoa. A principal recomendação é a reidratação: deve-se beber muito líquido, porque o álcool induz a desidratação, além de ter uma boa alimentação e horas de sono.

Pera coreana

Um dos centros de pesquisa mais prestigiados da Austrália, o CSIRO, descobriu que uma variedade coreana de pera é capaz de reduzir os níveis de álcool no sangue no momento do consumo.

A pesquisa revelou que a fruta atua em enzimas envolvidas no metabolismo do álcool no organismo, como a aldeído hidrogenase e a álcool hidrogenase. Para obter o efeito anti-ressaca, os pesquisadores recomendam tomar 220 ml de suco de pera-coreana, mas comer as frutas também dá resultado.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.