Sábado, 06 de Junho de 2020
APAGÃO

Benjamin Constant e Atalaia do Norte sofrem uma série de apagões há três dias

O apagão acompanhando de instabilidade na distribuição de energia deixou os dois municípios sem comunicação, prejudicou o fornecimento de água, prejuízos aos comerciantes e a população em geral com perda de equipamentos eletrodomésticos



ac7fa140-8f57-43f3-bfff-0121e42f9b7e.jpg A sucessão de apagões teve início por volta das 17 horas de quinta-feira. Foram mais de 15 apagões com intervalo médio de 20 minutos afetando a vida de 52.682 habitantes das duas cidades, 39 mil em Benjamin e 13.682 de Atalaia do Norte segundo estimativas do IBGE (Foto: Eduardo Gomes)
09/05/2016 às 10:52

Os municípios de Benjamin Constant e Atalaia do Norte, respectivamente a 1.116 km e 1.136 km de Manaus na fronteira entre o Brasil e Peru, região do Alto Solimões ficaram sem energia elétrica por pouco mais de 24 horas.

O apagão teve início por volta das 17 horas da tarde de quinta-feira (05) e se estendeu por todo o final de semana com períodos de até 12 horas sem energia. O apagão acompanhando de instabilidade na distribuição de energia deixou os dois municípios sem comunicação, prejudicou o fornecimento de água, prejuízos aos comerciantes e a população em geral com perda de equipamentos eletrodomésticos. É o maior apagão já registrado nos últimos anos nos municípios.



A sucessão de apagões teve início por volta das 17 horas de quinta-feira. Foram mais de 15 apagões com intervalo médio de 20 minutos afetando a vida de 52.682 habitantes das duas cidades, 39 mil em Benjamin e 13.682 de Atalaia do Norte segundo estimativas do IBGE.

Por volta das 20 horas o colapso foi total deixando as duas cidades sem energia por 24 horas enquanto técnicos locais da Amazonas Energia tentavam identificar a origem do problema.

Segundo o gerente local da Amazonas Energia, Edeládio Gomes, o problema em princípio seria a distribuição a partir da Usina Termelétrica, localizada no centro da cidade de Benjamin.

“O problema não é dos geradores. É na distribuição”, afirmou Edeládio enquanto acompanhava os técnicos nas várias tentativas de normalizar a distribuição de energia.

Na sexta-feira técnicos de Manaus e de Santo Antonio do Içá, desembarcaram em Benjamin Constant na tentativa de solucionar o problema. Eles permaneceram apenas 12 horas no município.

Com isto o caos energético persistiu no sábado com mais oito apagões e o fornecimento suspenso por 12 horas em alguns bairros.

“Vou fazer um boletim de ocorrência e entrar com pedido de indenização”, declarou o comerciante Alex Cabral que afirma ter perdido meia tonelada de frango com os constantes apagões dentre outros produtos congelados.

A Unidade Termelétrica de Benjamin Constant além de gerar energia para a área urbana do município e comunidades interligados pelo programa Luz para Todos, gera energia para Atalaia do Norte.

Segundo Edeládio, a capacidade de geração de energia é de 6.300 quilowatts produzida por oito geradores. O consumo é de 5.300 quilowatts com oito mil consumidores de Benjamin Constant (sede do município) e dois mil em Atalaia do Norte.

Apesar de teoricamente possuir um parque capaz de suprir a demanda, os dois municípios já vêm sofrendo constantes apagões nos últimos três anos.

Segundo um técnico da Amazonas Energia, a principal causa é a falta de manutenção preventiva no parque gerador e na rede de distribuição.

*Colaborou Eduardo Gomes


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.