Domingo, 21 de Julho de 2019
Notícias

Bens de informática devem gerar R$ 500 milhões para projetos de P&D no Amazonas

Recursos disponíveis em 2014 e expectativa de aportes maiores nos próximos anos motiva novos projetos estratégicos de empresas instaladas no PIM



1.jpg Alguns projetos já em andamento no Estado, por iniciativa das indústrias do PIM, apostam no potencial transformador dos jovens estudantes
21/08/2014 às 10:50

A projeção de faturamento para empresas do segmento de bens de informática instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM) deve gerar, até o final do ano, um volume de aproximadamente R$ 500 milhões para aplicação específica em projetos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) no Amazonas.

O montante, que corresponde a 5% do total faturado pelas empresas do setor e é destinado obrigatoriamente para projetos na área, conforme a Lei de Informática (Lei 8248/91), pode ser ainda maior nos próximos anos. A expectativa é de que os recursos ultrapassem a barreira de R$ 1 bilhão em um intervalo de quatro anos.

O secretário de Estado da Fazenda, Afonso Lobo, lembrou que o faturamento dos bens de informática já representou 7,5% do total de ganhos do PIM e hoje equivale a 15%. “Com o aumento da fatia do setor, cresce também a quantidade de recursos disponíveis para P&D, uma das grandes demandas do Estado em termos de contrapartidas para a concessão de incentivos fiscais pelo governo”, explicou.

Algumas empresas já começam a aplicar estes recursos em projetos que visam o desenvolvimento regional. Um deles é o acordo que será oficializado ainda esta semana com a TPVision (Philips TVs e Monitores). A empresa investirá R$ 8 milhões na implantação de um projeto que vai prover formação técnica a aproximadamente 800 estudantes do ensino médio nos municípios de Manacapuru e Iranduba, na área de desenvolvimento de software.

Além do treinamento técnico, os alunos serão capacitados em inglês e empreendedorismo. Os 50 que mais se destacarem serão absorvidos pela empresa. “A ideia é incentivar as empresas a investir o recurso de P&D, efetivamente, em inovação e capacitação de mão de obra local. Posteriormente, queremos desenvolver iniciativas em outros municípios e abarcar outras grandes empresas no processo”, defendeu Lobo.

Mais iniciativas

A Samsung também está entre as corporações que apostam em P&D. Em abril, foi inaugurado o modelo “Smart School”, uma sala de aula que insere novas tecnologias no processo de ensino. Onze salas já estão ativas e até setembro serão 20 em diversas escolas públicas de Manaus. A sul-coreana também se prepara para o lançamento do Ocean Center, uma unidade de capacitação gratuita de desenvolvedores de aplicativos para smartphones e tablets, entre outros.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.