Publicidade
Cotidiano
Notícias

Black Friday divide opiniões nos shoppings centers de Manaus

Consumidores lotaram shoppings da cidade à procura dos descontos da campanha Black Friday. Mas ao lado de boas promoções também houve falsos descontos e até casos de aumento de preços disfarçados de promoção 28/11/2014 às 17:16
Show 1
Muitos consumidores foram ao Amazonas Shopping para aproveitar as ofertas do "Black Friday"
Camila Leonel Manaus (AM)

A versão brasileira da Black Friday levou muitas pessoas aos shopping centers de Manaus atraídos pelos anúncios de menores preços e descontos vantajosos. Mas as opiniões sobre os preços variam. Dependendo da loja e do tipo de produto, a vantagem prometida não é tão boa assim.

No Amazonas Shopping, zona Centro Sul da cidade, o movimento era intenso e era grande o número de pessoas com sacolas. A pedagoga Suyanne Sousa que, além de roupas, estava atrás de brinquedos, contou que, dependendo da loja, havia promoções, mas não em todas. “Achei algumas coisas com desconto, mas nas lojas, apenas algumas peças estavam em promoção”, contou.

Já a aposentada Ana Franco se disse decepcionada ao ver que as promoções não estavam de acordo com o que foi anunciado. “Ninguém comprou nada com desconto. Eu estou arrasada porque pensei que ia encontrar descontos e não tinha nada. Fui a uma loja de roupas com placa de desconto, mas o desconto é só se comprar no cartão da loja. Isso é uma vergonha”, desabafou. O empresário Virgílio Benfica disse que encontrou apenas uma loja com preços interessantes. “Fui a uma loja que tinha um desconto interessante. No geral, não vi nada, apenas alguns produtos que estão no saldo e colocam na promoção. Em outros casos, é o famoso a metade do dobro”.

No Manauara Shopping, que além das promoções ofereceu também estacionamento grátis aos clientes, o discurso dos clientes era parecido: algumas lojas ofereciam promoções que valiam a compra. Para a advogada Camila Lima, “dependendo da loja, está mais barato sim. Agora, algumas lojas em que eu pensei que tinha desconto, quando olhei, a peça estava com o preço superior. Na verdade, eu vim comprar um presente e vi que algumas lojas estavam com o preço acessível e comprei algumas coisas”.

O estudante de medicina Ricardo Fontanella foi atrás de DVDs e encontrou preços compensadores. Mas no caso de livros, em especial livros acadêmicos, não havia desconto algum. No Millennium Shopping, a vendedora Janir Costa não encontrou diminuição nos preços. “Está tudo a mesma coisa. Não vi nada de mais e tem produtos que, fora desta época, eram até mais acessíveis do que hoje”

Publicidade
Publicidade