Terça-feira, 23 de Abril de 2019
publicidade
WEINTRAUB_9821716D-EF63-4622-8F2C-EFC6BFAFEA63.jpg
publicidade
publicidade

MUDANÇA

Bolsonaro demite Vélez e nomeia economista como novo ministro da Educação

Presidente agradeceu os "serviços prestados" por Vélez, que tinha situação insustentável há dez dias; novo ministro é professor da Unifesp e fez carreira no mercado financeiro


08/04/2019 às 10:59

O presidente Jair Bolsonaro anunciou, por meio do Twitter, a demissão do ministro da Educação Ricardo Vélez Rodriguez.  A saída de Vélez já era dada como certa há mais de dez dias, e ganhou força na sexta-feira, quando Bolsonaro afirmou que "falta gestão" à pasta.

No mesmo post que anuncia a demissão de Vélez, agradecendo a ele pelos "serviços prestados", Bolsonaro confirmou Abraham Weintraub como o novo titular da pasta. "Abraham é doutor, professor universitário e possui ampla experiência em gestão e o conhecimento necessário para a pasta", sustentou o presidente, na publicação. No entanto, conforme o currículo Lattes de Weintraub, o novo ministro não é doutor. Formado em Economia pela Universidade de São Paulo (USP), ele tem MBA em Administração Financeira e mestrado em Administração, ambos pela Fundação Getúlio Vargas. 

Vélez foi demitido por Bolsonaro após uma série de polêmicas, incluindo o episódio em que determinou que alunos de escolas públicas fossem filmados cantando o hino e  sugerindo que elas repetissem o slogan de campanha do presidente Jair Bolsonaro. A situação ficou insustentável após uma audiência na Comissão de Educação do Congresso, quando foi duramente criticado por não apresentar os projetos para o desenvolvimento da Educação no País.

Substituto

Economista por formação e com atuação no setor financeiro de diversos bancos no Brasil, Abraham Weintraub atuou na equipe de transição a convite do ministro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. Ele também é também professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Segundo reportagem do Valor, quando assumiu seu posto na equipe de transição, Abraham atuou no mercado financeiro por mais de 20 anos. Ele foi sócio na Quest Investimentos, diretor do Banco Votorantim, membro do comitê de trading da BM&F Bovesp, conselheiro da Ancord e representou o Votorantim em encontros do Fundo Monetário Internacional (FMI).

 

 

 

publicidade
publicidade
'Com o que a gente gasta, tem que entregar mais', diz novo ministro da Educação
Destino do MEC deve ser definido segunda; 'não está dando certo', diz Bolsonaro
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.