Publicidade
Cotidiano
PROGRAMA

Bolsonaro diz que Cuba não aceitou condições para continuidade do Mais Médicos

Bolsonaro disse que entre as condições estavam a aplicação de testes de capacidade aos profissionais cubanos e a remessa integral do salário aos profissionais cubanos que atuam no país 14/11/2018 às 14:10 - Atualizado em 14/11/2018 às 14:11
Show bolsonaro alterar mudar 406358ee e67a 4de0 8cb2 d01f7a1d4443
O presidente eleito disse que a maior parte dos vencimentos era destinado à “ditadura” cubana (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Reuters

O presidente eleito Jair Bolsonaro disse nesta quarta-feira que Cuba não aceitou as condições impostas por ele para a manutenção do país no programa Mais Médicos, após o país caribenho anunciar que não manterá a parceria pela qual envia médicos formados na ilha para atuar no Brasil.

Em sua conta no Twitter, Bolsonaro disse que entre as condições estavam a aplicação de testes de capacidade aos profissionais cubanos e a remessa integral do salário aos profissionais cubanos que atuam no país. O presidente eleito disse que a maior parte dos vencimentos era destinado à “ditadura” cubana.

“Condicionamos à continuidade do programa Mais Médicos a aplicação de teste de capacidade, salário integral aos profissionais cubanos, hoje maior parte destinados à ditadura, e a liberdade para trazerem suas famílias. Infelizmente, Cuba não aceitou”, escreveu Bolsonaro.

Mais cedo, o governo cubano afirmou por meio de comunicado do Ministério da Saúde da ilha lido na TV estatal que estava se retirando do Mais Médicos devido a “referências diretas, depreciativas e ameaçadoras” de Bolsonaro à presença dos médicos cubanos no Brasil.

Publicidade
Publicidade