Quinta-feira, 02 de Abril de 2020
política

Bolsonaro recua e demite novamente secretário que usou avião da FAB

Anúncios foram feitos pelo presidente nas redes sociais. O presidente ainda tirou o Programa de Parcerias de Investimentos da Casa Civil



reuters_12345_25CB52FF-C819-435C-BEAC-04C4DB290E1C.JPG Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil
30/01/2020 às 11:59

O presidente Jair Bolsonaro recuou e anunciou nesta quinta-feira que irá demitir mais uma vez o ex-secretário-executivo da Casa Civil Vicente Santini, exonerado na terça e recontratado em outro cargo na quarta, além de também demitir o substituto de Santini e ainda retirar o Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) da Casa Civil.

“Informo que em Diário Oficial será publicado: tornar sem efeito a admissão do servidor Santini; exonerar o interino da Casa Civil; passar p PPI da Casa Civil para o Ministério da Economia”, escreveu o presidente em suas redes sociais no início da manhã.



A decisão de Bolsonaro ataca a parte central da Casa Civil e enfraquece ainda mais o ministro da pasta, Onyx Lorenzoni. De férias, Onyx perdeu dois servidores de confiança e o programa que hoje é a espinha dorsal da Casa Civil, o PPI.

Depois de perder a articulação política para a Secretaria de Governo, Onyx levou em troca o PPI. Sem o programa, a Casa Civil perde boa parte do seu poder. Uma fonte palaciana ouvida pela Reuters admitiu que a situação do ministro é delicada.

Santini havia sido demitido por Bolsonaro na terça-feira do cargo de secretário-executivo da Casa Civil por ter usado um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) para ir de Davos à Índia — onde se uniu à comitiva presidencial — enquanto estava como ministro interino. Bolsonaro classificou de “imoral” a ação do subordinado.

No dia seguinte, Santini foi readmitido, como assessor especial da Secretaria de Relacionamento Externo da Casa Civil.

De acordo com a fonte ouvida pela Reuters, Bolsonaro conversou com Santini na tarde de quarta-feira, a pedido dos filhos, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e o senador Flávio Bolsonaro (sem-partido-RJ), e se convenceu que o servidor não teve má intenção no uso da aeronave da FAB. O presidente, então, autorizou a recontratação de Santini em outro cargo.

No entanto, a forte reação à decisão nas redes sociais, com críticas inclusive de partidários do presidente, o levou a recuar da decisão. Mais do que isso, Bolsonaro atacou diretamente a estrutura da Casa Civil.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.