Segunda-feira, 12 de Abril de 2021
Ajuda internacional

Brasil busca US $ 1 bilhão em ajuda externa para conter o desmatamento na Amazônia

O plano é reduzir o desmatamento na Amazônia entre 30% e 40%



Sem_t_tulo_A512E508-6699-4E8E-AE23-66548D7E2D58.jpg Foto: REUTERS
05/04/2021 às 13:18

O ministro do Meio Ambiente do Brasil quer US $ 1 bilhão em ajuda externa de países como os Estados Unidos para ajudar a reduzir o desmatamento na Amazônia entre 30% e 40%, segundo entrevista publicada sábado no jornal O Estado de São Paulo.

“O plano é de US $ 1 bilhão em 12 meses”, disse o ministro Ricardo Salles ao jornal. “Se esses recursos estivessem disponíveis para serem usados ​​dessa forma (no combate ao desmatamento), podemos nos comprometer com uma redução entre 30% e 40% em 12 meses.”



O Brasil tem sido amplamente criticado por não conter o desmatamento na Amazônia, a maior floresta tropical do mundo. O presidente Jair Bolsonaro disse que prefere explorar os recursos econômicos da floresta tropical ao invés de protegê-la, e enviou tropas para tentar lidar com o problema com pouco sucesso.

Um terço do dinheiro seria usado para financiar ações de combate direto ao desmatamento, disse Salles, enquanto os dois terços restantes seriam usados ​​para o desenvolvimento econômico, para dar oportunidades alternativas às pessoas que se beneficiaram com a floresta tropical.

Ele acrescentou que pediu dinheiro aos Estados Unidos e também perguntou à Noruega “se eles queriam colaborar”.

Os militares permaneceriam no comando, disse Salles, porque é mais barato pagar suas diárias do que contratar funcionários em tempo integral no Ibama. A agência sofreu cortes no orçamento sob o governo de Bolsonaro.

“Se não conseguirmos o dinheiro, faremos o melhor que pudermos com nossos recursos, mas não posso me comprometer com uma porcentagem específica de redução (do desmatamento)”, disse Salles.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.