Publicidade
Cotidiano
Notícias

Brasil discute possíveis parcerias com o Irã, revela Eduardo Braga, titular do MME

Segundo o ministro de Minas e Energia, o governo brasileiro recebeu em novembro uma correspondência do Irã, "com interesse em desenvolver parcerias comerciais com o Brasil que envolvem produtos brasileiros" 11/02/2016 às 15:31
Show 1
Também está em pauta, segundo Braga, acordos na área de energia.
Leonardo Goy/reuters brasil ---

A presidente Dilma Rousseff e um grupo de ministros, incluindo os de Minas e Energia, Eduardo Braga, e da Fazenda, Nelson Barbosa, discutiram nesta quinta-feira possíveis parcerias comerciais com o Irã, que recentemente chegou a um acordo nuclear com as principais potências do mundo que retirou sanções que pesavam sobre o país.

Segundo Braga, o governo brasileiro recebeu em novembro uma correspondência do Irã, "com interesse em desenvolver parcerias comerciais com o Brasil que envolvem produtos brasileiros", entre os quais, automóveis fabricados no país, segundo o ministro.

Também está em pauta, segundo Braga, acordos na área de energia. O Irã também é grande importador de produtos agropecuários do Brasil.

"Nós temos uma indústria de petróleo e viemos ao longo dos últimos meses inclusive tratando com iranianos a questão de refinarias no Brasil", disse Braga a jornalistas, sem dar detalhes sobre que tipo de acordo envolveria o setor de refino.

Recentemente, os Estados Unidos e a União Europeia decidiram suspender as sanções aplicadas ao Irã, logo após a Agência Internacional de Energia Atômica (Aiea) confirmar que o país cumpriu todas as exigências do acordo nuclear assinado em Viena. De acordo com o ministro de Minas e Energia, o Brasil tem interesse em acordos na área de energia. “Eles têm petróleo, têm muito gás, temos interesses, viemos ao longo dos últimos meses tratando com iranianos a questão de refinarias no Brasil.”

Endividada e afetada pelos efeitos de um escândalo de corrupção, a estatal Petrobras busca parcerias para concluir refinarias, como a do Comperj, cujas obras também estiveram envolvidas no esquema de pagamento de propina alvo da operação Lava Jato.

Além de Barbosa e Braga, participou também da reunião o ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira. 

Segundo o Ministério das Relações Exteriores, entre 2002 e 2009, a corrente bilateral de comércio entre Brasil e Irã passou de US$ 500 milhões para US$ 1,24 bilhão. Em 2010, o Irã tornou-se o segundo maior comprador de carne do Brasil, ficando atrás apenas da Rússia.

Publicidade
Publicidade