Publicidade
Cotidiano
Atrás de informações

Buscas por delegado seguem no rio Solimões e estão próximas de Tefé, Codajás e Coari

Thyago Garcez, 30, está desaparecido desde o último dia 5 de dezembro, após uma troca de tiros com traficantes no rio Solimões, em Coari. Exército e Marinha deixaram as buscas no último dia 11 15/12/2016 às 18:02 - Atualizado em 15/12/2016 às 18:54
Show thyago
Thyago Pereira Garcez Bastos, 30, é titular da 78ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Codajás. Foto: Reprodução
Rafael Seixas Manaus (AM)

O perímetro do local das buscas pelo delegado Thyago Garcez, 30, aumentou e agora se estende por toda a extensão do rio Solimões, nas proximidades dos municípios de Tefé, Codajás e Coari. A informação foi repassada pelo diretor do Departamento de Policiamento do Interior (DPI) da Polícia Civil do Amazonas, delegado Mariolino Brito, que está no comando das buscas por Thyago, desaparecido desde o dia 5 de dezembro, após uma troca de tiros com traficantes no rio Solimões, no município de Coari (a 363 quilômetros de Manaus).

De acordo com Brito, atualmente 14 profissionais estão participando da operação, entre policiais civis e militares, sendo parte da Força Tática da Polícia Militar e parte do grupo Fera da Polícia Civil. “Não tem ninguém fixo em um lugar. Estão em toda a extensão do rio Solimões, próximos aos municípios de Codajás, Tefé e Coari”, disse, complementando ainda que o Corpo de Bombeiros está ajudando na operação, principalmente com mergulhadores. O tenente João Filho, do Corpo de Bombeiros, informou que agora permanecem um oficial e três mergulhadores da corporação no município.

Desde o primeiro dia de buscas, a equipe conta com o auxílio de um drone par expandir o campo de visão e facilitar o acesso a possíveis locais onde possa estar o delegado. Ainda segundo o diretor do DPI, o Exército e a Marinha não estão mais ajudando nas buscas desde a morte dos colombianos, no último dia 11 de dezembro, durante uma troca de tiros na mata com policiais militares e civis em uma ilha próxima a Coari. Os colombianos seriam os mesmos envolvidos na ocorrência que deixou o delegado desaparecido.

Brito afirmou que é difícil prever os próximos procedimentos caso Garcez não seja encontrado. “Quando você busca alguma coisa, se você vai encontrar ou o que pode encontrar, somente o tempo vai dizer”, finalizou.

Por meio de nota, a assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que na manhã desta quinta-feira (15) seis policiais civis que atuam no Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) e na Delegacia Fluvial (Deflu) foram deslocados até Coari para reforçar as buscas.

Publicidade
Publicidade