Publicidade
Cotidiano
Notícias

Cabeleireiro preso por matar homens diz que vai cortar cabelo de detentos na cadeia

Jason, o “Jeicinho”, foi preso como suspeito de cometer dois homicídios no bairro Crespo, em Manaus. Ele negou crimes e pretende “faturar” na prisão 30/03/2015 às 15:14
Show 1
Polícia conseguiu prendê-lo enquanto prestava depoimento na DEHS
VINICIUS LEAL E JOANA QUEIROZ Manaus

O cabeleireiro Jason Ambrósio Macedo, 27, o “Jeicinho”, foi preso pela Polícia Civil por ser suspeito de cometer dois homicídios em Manaus. Ele foi capturado durante cumprimento de mandado de prisão, enquanto prestava depoimento à polícia na última sexta-feira (27).

Uma das vítimas de “Jeicinho”, segundo a polícia, é o industriário Daniel Paulo da Silva Nascimento, 23, morto com cinco tiros quando retornava do trabalho para casa, na rua Nova Esperança, bairro Crespo, no último dia 19 de fevereiro.

Segundo o delegado Ivo Martins, da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), a morte de Daniel foi motivada por disputa por ponto de venda de drogas. Antes de morrer, no hospital, Daniel teria contato que “Jeicinho” seria o mandante do crime. “Jeicinho” e Daniel eram vizinhos.

Outra vítima de “Jeicinho”, segundo Ivo Martins, foi Rafael Correira de Souza, assassinado em agosto de 2013 no beco da Paz, rua da Suframa, bairro Crespo. Esse crime também teria motivos na disputa por “bocas de fumo” naquela região, conforme a polícia.

Prisão

“Jeicinho”, que já tem passagem por roubo, foi autuado por homicídio e deverá ser levado para a cadeia pública de Manaus. Durante coletiva de imprensa nesta segunda (30), na sede da DEHS, ele negou envolvimento nos crimes e com o tráfico de drogas.

Para repórteres, “Jeicinho” disse que pretende atuar como cabeleireiro dentro da prisão para “faturar uma grana”. Ele afirmou que cobrará o valor de R$ 25 para cortar e aplicar luzes nos cabelos. O suspeito ainda disse que corta “cabelo social muito bem”.

Ataques

A mãe de “Jeicinho”, Tânia Maria Rodrigues, 53, estava na sede da DEHS durante a coletiva e negou o envolvimento do filho. Ela disse que o salão de beleza de “Jeicinho” sofreu ataques após a indicação dele como assassino de Daniel. Tempos atrás, vários tiros foram disparados contra o salão de beleza, e três pessoas foram atingidas.

Procura

O delegado Ivo Martins afirmou que a investigação continua para prender mais envolvidos na morte de Daniel. Segundo ele, mais duas pessoas são suspeitas de participação no assassinato, entre elas parentes de “Jeicinho”.

Publicidade
Publicidade