Publicidade
Cotidiano
Notícias

Cachaça vira produto de luxo para consumidores

Antes um produto associado a baixos preços, a cachaça alcança status de produto premium, com embalagens requintadas e fórmulas exclusivas para atender ao gosto de um público de alto nível 21/05/2015 às 13:55
Show 1
Velho Barreiro Diamond, uma das cachaças mais caras do mundo
Saadya Jezine ---

A cachaça é o principal destilado produzido e consumido no Brasil. Muitos fabricantes estão apostando em novas versões do produto, incluindo o lançamento de garrafas de luxo, agregando mais sofisticação e valor às vendas. A maioria das marcas de cachaça segue a linha popular, com preços que não causam nenhuma ressaca nos consumidores. No entanto, de alguns anos pra cá, a bebida acabou ganhando um status de luxo e virou um líquido nobre de excelente qualidade, conquistando consumidores exigentes espalhados por todo o País.

O empresário André Parente, dono da Cachaçaria do Dedé & Empório em Manaus, afirma que em seu estabelecimento, existem doses que custam de R$ 7, a R$ 165. As cachaças de Uva, Amburana e Salinas são as mais pedidas por seus clientes.

O que agrega valor ao destilado é a quantidade produzida e o rótulo. Fabricantes estão fugindo do padrão simples, chamado de Branca, que é a garrafa de 670 ml com rotulo básico, patenteado no Brasil e usado por anos. Atualmente, os produtores apostam na sofisticação das embalagens, com designs próprios. Nem o tamanho, nem a transparência da garrafa seguem um padrão estabelecido.

André Parente, que também é produtor, iniciou sua produção em Papagaios, Minas Gerais, e começou a envasar a Cachaça do Dedé em 2014, fornecendo quatro tipos do produto.

O primeiro é de edição limitada, com 1070 unidades disponíveis, além da Carvalho, Amburana e Branca. “Os fatores que contribuem para o aumento do valor da cachaça é principalmente a quantidade produzida, a embalagem e rótulo do produto”, afirma.

Embalagem

A Owens Illinois, maior fabricante de embalagens de vidro do mundo, desenvolveu as garrafas das versões da aguardente Flor da Montanha, produzidas pela Família Benedetti. Com design exclusivo para 700 ml, a garrafa visa destacar a qualidade superior da aguardente, seu requinte e sofisticação. “Desenvolvemos uma embalagem diferenciada, que despertará a atenção dos apreciadores, além de valorizar o produto”, explica Mariana Ceruti, gerente de Marketing.

Sucesso internacional

A cadeia produtiva da cachaça tem o movimento anual de R$ 7 bilhões, e é o terceiro destilado mais consumido no mundo, o que justifica investimentos na aérea da exportação também. “Chegar fora do Brasil e encontrar uma cachaça brasileira para tomar está se tornando cada vez mais comum, mesmo porque as pessoas de fora do País gostam do sabor singular do destilado nacional”, afirma o degustador Pedro Lima.

Outro fator importante é a relação da identidade cultural e o produto “O que muitas pessoas não sabem, mas que também faz parte desse processo de expansão da bebida, é que a cachaça foi definida como um produto cultural no Brasil a partir de 1994”, afirma o Pedro Lima. “O Brasil deveria investir um pouco mais em designers de garrafas com a identidade brasileira. Provar o sabor do País, já provaram, agora precisam levar para casa uma lembrança do lugar”, complementa o degustador.

Apesar do Norte ocupar as últimas posições entre as regiões produtoras, o empresário André Parente afirma que vale a pena investir porque a expectativa é de crescimento. Antes, tinha aquele julgamento pejorativo, hoje não, o produto tá tão requintado quanto o whisky. Pessoal está aprendendo a valorizar o produto”, afirma.


Publicidade
Publicidade