Sábado, 04 de Julho de 2020
Notícias

Caminhada contra queimadas mobiliza público na Ponta Negra

A ação envolveu aproximadamente 300 pessoas e contou com distribuição de 410 mudas e atividades de conscientização do público presente. Um mutirão  para o plantio de árvores pela cidade está programado para janeiro, no início do período de chuvas



1.jpg Caminhada reuniu movimentos ligados ao meio ambiente, grupos de idosos e frequentadores do Complexo Turístico da Ponta Negra
01/11/2015 às 13:09

Em torno de 300 pessoas se reuniram na manhã de ontem no Complexo Turístico da Ponta Negra para uma caminhada contra a grande quantidade de queimadas que tem afetado a capital amazonense e o resto do Estado no último mês.

O protesto foi idealizado pelos grupos Manaus+Verde e Eu Que Plantei. Os dois reúnem moradores de Manaus interessados em conscientizar a população para temas como a poluição, o desmatamento, e os malefícios à saúde ocasionados pelas queimadas, além de estimular o plantio de árvores em espaços públicos e privados.

“Manaus é a segunda cidade menos arborizada do País, um paradoxo, considerando que estamos em meio à Floresta Amazônica. Só esse fato já nos dá o estímulo necessário e reforça a urgência de fazermos ações como essa para conscientizar as pessoas”, defendeu a coordenadora do movimento Manaus+Verde, Laís Naha Lopes.

Laís explicou que o foco principal do evento foi um apelo para o fim das queimadas. “Esse foi um pontapé inicial para um trabalho mais profundo em termos de meio ambiente e qualidade de vida na cidade”.
 
A representante do grupo ‘Eu que Plantei’, Luciana Nobre, enfatizou a ação foi de sensibilização mas que, assim que iniciar o período de chuvas, um multirão será organizado para que cidadãos comuns se mobilizem fazendo o plantio de mudas em diversas partes da cidade.

“O objetivo é parar de reclamar e começar a fazer a nossa parte para melhorar a nossa própria vida nesse espaço urbano”, avaliou.
    

Ação aprovada

A aposentada Maria das Graças Silva Pinto, 66 anos, levou para casa uma muda de hortelã e disse ter se sentido na obrigação de ajudar a cidade.

“A natureza está pedindo socorro. Isso está bem claro. Uma boa forma de contribuir é começar pela nossa própria casa, plantando, educando filhos e netos. A partir daí fica mais fácil levar essa transformação para o resto da sociedade”, ensina.

A também aposentada, Maria da Consolação, 69, considerou a caminhada especial e disse que a conscientização ambiental é urgente.

“É importante lembrar que assim como nós precisamos de água e condições adequadas para viver, as plantas também precisam. Com o cuidado certo, melhora a vida de todo mundo”, completou.

Mudas
A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) apoiou a ação dos movimentos com a distribuição de panfletos informativos e a doação de 410 mudas de árvores frutíferas e florestais para serem distribuídas ao público presente na atividade.




Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.