Publicidade
Cotidiano
Notícias

Caminhada contra queimadas mobiliza público na Ponta Negra

A ação envolveu aproximadamente 300 pessoas e contou com distribuição de 410 mudas e atividades de conscientização do público presente. Um mutirão  para o plantio de árvores pela cidade está programado para janeiro, no início do período de chuvas 01/11/2015 às 13:09
Show 1
Caminhada reuniu movimentos ligados ao meio ambiente, grupos de idosos e frequentadores do Complexo Turístico da Ponta Negra
Juliana Geraldo Manaus (AM)

Em torno de 300 pessoas se reuniram na manhã de ontem no Complexo Turístico da Ponta Negra para uma caminhada contra a grande quantidade de queimadas que tem afetado a capital amazonense e o resto do Estado no último mês.

O protesto foi idealizado pelos grupos Manaus+Verde e Eu Que Plantei. Os dois reúnem moradores de Manaus interessados em conscientizar a população para temas como a poluição, o desmatamento, e os malefícios à saúde ocasionados pelas queimadas, além de estimular o plantio de árvores em espaços públicos e privados.

“Manaus é a segunda cidade menos arborizada do País, um paradoxo, considerando que estamos em meio à Floresta Amazônica. Só esse fato já nos dá o estímulo necessário e reforça a urgência de fazermos ações como essa para conscientizar as pessoas”, defendeu a coordenadora do movimento Manaus+Verde, Laís Naha Lopes.

Laís explicou que o foco principal do evento foi um apelo para o fim das queimadas. “Esse foi um pontapé inicial para um trabalho mais profundo em termos de meio ambiente e qualidade de vida na cidade”.
 
A representante do grupo ‘Eu que Plantei’, Luciana Nobre, enfatizou a ação foi de sensibilização mas que, assim que iniciar o período de chuvas, um multirão será organizado para que cidadãos comuns se mobilizem fazendo o plantio de mudas em diversas partes da cidade.

“O objetivo é parar de reclamar e começar a fazer a nossa parte para melhorar a nossa própria vida nesse espaço urbano”, avaliou.
    

Ação aprovada

A aposentada Maria das Graças Silva Pinto, 66 anos, levou para casa uma muda de hortelã e disse ter se sentido na obrigação de ajudar a cidade.

“A natureza está pedindo socorro. Isso está bem claro. Uma boa forma de contribuir é começar pela nossa própria casa, plantando, educando filhos e netos. A partir daí fica mais fácil levar essa transformação para o resto da sociedade”, ensina.

A também aposentada, Maria da Consolação, 69, considerou a caminhada especial e disse que a conscientização ambiental é urgente.

“É importante lembrar que assim como nós precisamos de água e condições adequadas para viver, as plantas também precisam. Com o cuidado certo, melhora a vida de todo mundo”, completou.

Mudas
A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) apoiou a ação dos movimentos com a distribuição de panfletos informativos e a doação de 410 mudas de árvores frutíferas e florestais para serem distribuídas ao público presente na atividade.

Publicidade
Publicidade