Terça-feira, 17 de Setembro de 2019
Saúde sem fronteiras

Campanha contra hepatites virais começa pelos ribeirinhos do rio Amazonas

Moradores das margens dos rios Amazonas e Negro vão receber orientações um dia antes do lançamento; grave problema de saúde pública no Brasil e no mundo, a hepatite é uma doença sexualmente transmissível que gera inflamação no fígado, cirrose e até câncer



barco1.JPG Ribeirinhos vão receber orientações a partir do barco Catuiara / Fotos: Karla Vieira e José Nildo/Semcom
06/07/2016 às 20:07

No Amazonas a Campanha Anual de Combate às Hepatites Virais começa já nesta quinta-feira, dia 7, tendo como público alvo os ribeirinhos. Por intermédio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) inicia nesta quinta-feira, 7, a primeira etapa da mobilização que tem como foco principal os moradores das comunidades ribeirinhas localizadas às margens dos rios Amazonas e Negro.

Para ir ao encontro dos ribeirinhos, e realizar a importante mobilização de testes e conscientização contra as hepatites, um total de 32 profissionais vai embarcar na Unidade Móvel Fluvial Semsa 4 “Barco Catuiara”, que foi cedido ao órgão por meio de uma parceria com o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM).

A campanha fluvial começa hoje no rio Amazonas pela comunidade Caramuri, próximo a Novo Airão (município a 115 quilômetros de Manaus) e termina dia 12 na localidade de Mainã, totalizando 12 comunidades naquela região.

Em um segundo momento, a partir do dia 21 deste mês, o barco Catuiara vai até os ribeirinhos do rio Negro, começando na comunidade de Apuau, Santa Izabel e Canaã e finalizando na Costa do Arara e Tupé, dia 26.

“Decidimos começar a campanha pelos ribeirinhos por conta da logística. Como já temos um calendário definido e a logística para esses locais é complicada, já aproveitamos para ir até essas áreas rurais por meio da unidade móvel Catuiara, que terá médicos, enfermeiros, bioquímicos, técnicos de enfermagem, assistente social, etc.,”, informou Christiane Moraes, chefe de Vigilância em Saúde da Divisão de Vigilância em Saúde do Distrito de Saúde Rural (Disa Rural) da Semsa.

Já a segunda etapa, voltada para as outras regiões da capital, está prevista para 25 a 31 deste mês, com a oferta de testes e informações sobre a doença para a população em geral e, em especial para salões de beleza e estúdios de tatuagem.

Segunda etapa

Ao longo da 2ª etapa da campanha, entre os dias 25 e 31, serão oferecidos, em todos os distritos de saúde, testes rápidos para Hepatite B e Hepatite C e, ainda, para HIV e Sífilis. Além disso, as Unidades de Saúde da Estratégia Saúde da Família farão a distribuição de preservativos masculinos e femininos.

Prevenção

A melhor prevenção contra as hepatites é o sexo seguro com preservativo, evitar a promiscuidade, mas, apesar disso, nada é 100% seguro pois o próprio preservativo pode rasgar. Por isso, é bom ter um parceiro fixo, evitar compartilhar seringas e quando for à manicure sempre procurar salões com higiene, com material esterilizado, explica Christiane Moraes. “Além disso, os profissionais de saúde devem ter um cuidado especial ao descartar as seringas, seguindo todos os protocolos com o material pérfuro-cortante. E a educação na saúde, desde a infância nas escolas e unidades de saúde que estão engajadas para disseminar as informações ao público”.

Em números

14.338 casos de hepatites virais foram registradas no AM entre 2001 e 2015, com mais incidência em Manaus, Eirunepé, Lábrea, Coari, Boca do Acre, Tefé, Manacapuru, Fonte Boa e Atalaia.

Doença tipo B e C não tem cura

As hepatites  virais do tipo B e C não tem cura. No entanto, depois de contaminado, o paciente passa por um tratamento para evitar o aparecimento dos sintomas. Apesar de portadora do vídeo, a pessoa pode ter uma vida saudável dependendo da qualidade de vida que ela vai apresentar em face da doença, bem como pelo sistema imunológico e estilo de vida alimentar saudável, por exemplo.

O Município de Manaus oferece teste rádio de triagem para diagnosticar a hepatite viral. Em caso de positivo, o paciente é encaminhado para as policlínicas para o devido tratamento e, dependendo da gravidade, é encaminhado aos hospitais de Medicina Tropical ou Adriano Jorge.

Fígado, cirrose e câncer

Grave problema de saúde pública no Brasil e no mundo, a hepatite é uma doença sexualmente transmissível, que tem como característica a inflamação no fígado. É contraída através da relação sexual, seringas contaminadas de drogas injetáveis, por profissionais de saúde desavisados que entrem em contato com materiais perfuro-cortantes, álcool e doenças autoimunes, metabólicas e genéticas.

Preferencialmente a hepatite viral se aloja no tecido hepático, na região do fígado, e, após alguns anos, o contaminado apresenta sintomas como mal estar geral, colúria (urina escura), vômitos e diarréias. Ela pode levar à cirrose hepática, que não tem cura, e é fator de risco para o desenvolvimento de câncer no fígado.

A doença atinge todas as faixas etárias, mas os jovens e adultos que não utilizam preservativos ou não realizam a prevenção estão mais susceptíveis a contrair as hepatites devido ausência de sexo seguro.

No Brasil, as hepatites virais mais comuns são as causadas pelos vírus A, B e C. Existem, ainda, os vírus D e E, esse último mais frequente na África e na Ásia. Milhões de pessoas no Brasil são portadoras dos vírus B ou C e não sabem.

Elas correm o risco de as doenças evoluírem (tornarem-se crônicas) e causarem danos mais graves ao fígado como cirrose e câncer. Por isso, é importante ir ao médico regularmente e fazer os exames de rotina que detectam a hepatite. 

A escolha do mês de julho para a realização da campanha se deve à comemoração do Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais em 28 de julho. A data foi instituída por iniciativa brasileira e oficializada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), durante Assembleia Mundial da Saúde realizada em maio de 2010. Desde então, o Ministério da Saúde, por meio do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais da Secretaria de Vigilância em Saúde, vem cumprindo uma série de metas e ações integradas de prevenção e controle nos níveis de gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) para o enfrentamento das hepatites virais no Brasil.

Ações em todos os 62 municípios do AM

Em conjunto com municípios e entidades parceiras, a Secretaria Estadual de Saúde (Susam) inicia amanhã, e prossegue até dia 29,  a campanha alusiva ao Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais (28 de Julho), com o tema “Liberdade é se cuidar. Que tal testar?”. A promoção é da Coordenação Estadual de DST/Aids e Hepatites Virais, vinculada à Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD).

Em todos os 62 municípios do Estado, as secretarias municipais de Saúde estarão intensificando as ações de prevenção, com a oferta de testes rápidos, palestras, distribuição de preservativos masculinos e folders informativos. 

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Pedro Elias de Souza, serão ofertados 41.800 testes rápidos para Hepatite B e 41.800 para o tipo C da doença, nos serviços de saúde e nas instituições parceiras, na capital e no interior. 

Amanhã, de 15h às 18h, o Fórum OSC AIDS (Rede de Jovens) estará no conjunto Viver Melhor, no bairro de Santa Etelvina, levando ações educativas, distribuição de material informativo e preservativos. De 11 a 26, a Fuam também promoverá ações educativas e no dia 27, de 8h às 12h, oferecerá testagem rápida para Hepatites B e C.

De 12 a 14, as unidades prisionais receberão o serviço de testagem rápida. Dia 22, de 15h às 18h, o Fórum OSC AIDS promoverá ações educativas com distribuição de material informativo no Terminal 5, no bairro São José. Dia 25, será no T1, na avenida Constantino Nery.

No Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais (28), o Fórum OSC AIDS realiza, de 8h30 às 11h, ação educativa na Manaus Moderna. A FHAJ fará teste rápido e distribuição de material informativo e preservativos, de 8h às 12h e de 13h às 17h.

A FMT vai oferecer testagem rápida, folders e preservativos no dia 29, de 8h às 15h. Nesse mesmo dia, de 8h30 às 11h30, a OSC AIDS distribuirá material informativo e preservativo na Galeria Espírito Santo, Centro.

Reforçando alertas

A infectologista Silvana Lima, coordenadora estadual de DST/Aids e Hepatites Virais, explica que o propósito da campanha é reforçar os alertas para a prevenção e diagnóstico precoce das Hepatites Virais, que consistem na inflamação do fígado. O objetivo é mostrar que todos têm liberdade sobre seu corpo e suas escolhas, porém, não devem esquecer da responsabilidade de se cuidar. “Com o tratamento adequado e a tempo, evita-se a transmissão ou progressão da doença e suas graves consequências”, afirmou.

Silvana ressalta que o Amazonas possui uma rede de diagnóstico, que conta com testes rápidos para detecção das Hepatites B e C, em todos os municípios, nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs). A principal referência no acompanhamento e tratamento da doença, no estado, diz ela, é a FMT-HVD. Em Manaus, também realizam atendimento as fundações Adriano Jorge e Alfredo da Matta e o Ambulatório Araújo Lima, do Hospital Universitário Getúlio Vargas. Coari, Tefé e Eirunepé possuem Serviço de Assistência Especializada para Hepatites Virais.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.