Sexta-feira, 03 de Abril de 2020
PREVENÇÃO

Campanha de vacinação contra o sarampo é retomada no Amazonas

Dois anos após um surto no Amazonas, órgãos de Saúde retomam as ações de apelo para a imunização



ruah_E968E754-4A2C-4EDA-90B7-6B069B339F07.JPG Foto: Jair Araújo
11/02/2020 às 09:03

Crianças e jovens de 5 a 19 anos precisam atualizar suas cadernetas de vacinação, agora com a imunização contra o sarampo. A Campanha Nacional de Vacinação de Tríplice Viral iniciou ontem no Amazonas e todas as 183 salas de imunização de Manaus estão abastecidas com a dose, que também protege contra caxumba e rubéola.

Natural da Venezuela (país de onde do surto de 2018 foi “importado”), a esteticista Ana Miglet, 26, atualizou ontem o cartão de vacina do filho de 6 anos na Policlínica Castelo Branco, localizada no bairro Parque 10 de Novembro, Zona Centro-Sul da capital. Ela afirma da necessidade de manter a vacinação do filho sempre em dia para assim, evitar doenças. “Eu não quero que ele fique doente. Então, é muito importante que os pais se atentem e leve seus filhos a qualquer posto de saúde mais próximo”, destacou.



A mesma preocupação teve a bacharel em direito Acácia Silva de Souza, 31, que aproveitou o dia para, além de imunizar o filho, de um ano, tirar as dúvidas e verificar quais vacinas sua sobrinha de 9 anos precisa tomar. “Não trouxe a caderneta dela, então, não teremos como atualizar. Acredito que é de suma importância tomar as doses da vacina e voltaremos o mais rápido possível para imunizá-la”, ressaltou.

De acordo com a chefe da Divisão de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), enfermeira Isabel Hernandes, a campanha acontece para combater os possíveis surtos de sarampo na faixa etária. Ela relembrou que, desde o ano passado, Manaus não notifica casos da doença. “É uma vacina que não precisa de campanha. Ela está durante todo o ano nas salas de vacinação. Mas, a gente intensifica nesse público alvo durante o período e quem vai tomar? Quem não está com o cartão atualizado ou quem nunca tomou a dose”.

O surto de sarampo que ocorreu em Manaus (alguns casos foram registrados no interior, mas em menor número) entre fevereiro de 2018 e janeiro de 2019 registrou 7.227 casos confirmados da doença, sendo que 1.804 (24,96%) foram notificados entre pessoas de 20 a 29 anos, 1.536 (21,25%) na faixa etária de 15 a 19 anos e 1.246 (17,24%) em crianças menores de um ano.

O dia “D” da campanha está marcado para um sábado, o próximo dia 15, nas unidades de saúde da rede municipal, que irão funcionar das 8h às 17h para atender a população na faixa etária indicada pelo Ministério da Saúde. No ano passado, também houve campanha, porém para públicos específicos: adultos jovens na faixa etária de 20 a 29 anos e de crianças de seis meses a menores de cinco anos.

“A única prevenção contra o sarampo é a vacinação, então a gente alerta aos pais da necessidade em ir até uma unidade de saúde com o cartão de vacinação, cartão do SUS e identidade para que possamos avaliar se ele tomará ou não”, disse Isabel.

O sarampo é uma doença extremamente contagiosa causada por um vírus do gênero Morbillivirus, da família Paramyxoviridae. A transmissão pode ocorrer por meio da fala, tosse e/ou espirro. O quadro de infecção pode ser grave, com complicações principalmente em crianças desnutridas ou com sistema imunológico debilitado.

Só 4  casos registrados em 2019

Conforme a Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), o último caso confirmado de sarampo no Estado foi registrado em janeiro de 2019, sendo que ao todo no ano passado foram confirmados três casos em Manaus e um em Coari. Em 2018, foram 9.809 casos confirmados da doença, distribuídos em cinquenta cidades.

O órgão de vigilância em saúde informou também que todas as secretarias municipais de saúde do Estado estão abastecidas para realização da campanha, que terá o dia “D” de mobilização nacional também no sábado 15 de fevereiro. 

A segunda etapa da campanha Nacional da Tríplice viral será no período de 3 a 31 de agosto, para o público- alvo pessoas com 30 a 59 anos de idade. O dia “D” de mobilização nacional para essa faixa será dia 22 de agosto.

Plano de resposta ao corona

O documento que consolida as estratégias adotadas pelo Comitê Interinstitucional de Gestão de Emergência em Saúde Pública para Resposta Rápida aos Vírus Respiratórios frente ao surto do novo coronavírus foi finalizado e encaminhado ontem ao Ministério da Saúde.

O Plano de Plano de Contingência Estadual para Infecção Humana pelo novo Coronavírus (2019-nCoV) apresenta medidas de respostas em vigilância, suporte laboratorial, controle de infecção, assistência, assistência farmacêutica, comunicação de risco e gestão, além de apoio às medidas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária em pontos de entrada seja portos, aeroportos e passagens de fronteiras.

De acordo com a coordenadora do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde do Amazonas da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), Liane Souza, o documento seguirá o padrão definido pelo próprio Ministério da Saúde e é similar ao de contenção para os casos de Influenza.

“É um plano que vai nortear todas as ações que deverão ser realizadas frente a um surto de coronavírus. Todos esses eixos são importantes salientar para que em caso de uma demanda urgente, justamente teremos um norte de como conter o surto. A única diferenciação que nós colocamos em nosso plano é que no Amazonas, nós temos a nossa área de tríplice fronteira, portanto, nós temos que estar mais vigilantes ainda”, informou.

Na prática, Liane Souza explicou que o plano consta toda a necessidade em urgência para que caso haja casos suspeitos, o Amazonas possa responder de forma rápida à doença. “Por exemplo, os laboratórios precisam garantir insumos para a realização de exames, precisamos garantir a capacitação de profissionais, garantir a existência de leitos para os pacientes, dentre outras necessidades”, destacou ainda.

“Esse plano está dentro da estrutura do Ministério da Saúde, porque nós já havíamos desenvolvido o plano para a Influenza. Então praticamente faremos apenas a atualização, todo o plano é possível de atualização”,  acrescentou. Dessa forma, o Comitê atuará na preparação de respostas rápidas a uma possível ocorrência de casos do novo noronavírus, aplicando orientações do MS definidas por protocolos da Organização Mundial de Saúde (OMS).

“Na rede, os nossos profissionais já receberam bastantes informações e agora é a gente cada vez se preparar mais, fortalecer mais, tanto a nossa vigilância como os nossos hospitais, os nossos profissionais de saúde e se por ventura, estivermos diante de um caso suspeito de coronavírus, a gente vai atuar para tentar minimizar e fazer a contenção da propagação desse vírus”, finalizou.

News karol 2d8bdd38 ce99 4bb8 9b75 aaf1a868182f
Repórter de Cidades
Jornalista formada pela Uninorte. Apaixonada pela linguagem radiofônica, na qual teve suas primeiras experiências, foi no impresso que encarou o desafio da prática jornalística e o amor pela escrita.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.