Publicidade
Cotidiano
SAÚDE

Campanha 'Segunda sem carne' incentiva substituição da proteína animal pela vegetal

Desde 2009 o Brasil aderiu o movimento, se tornando o segundo maior País na adesão, depois dos EUA. E em Manaus, o número de adeptos só cresce 19/08/2018 às 06:34
Show zvida0119 50f a03d26d5 10e6 44f2 b574 efbd8e59722f
Casal de influencers Rodrigo Botelho e Giovanna Quercia é um dos adeptos da campanha mundial criada nos Estados Unidos. Foto: Junio Matos
Mayrlla Motta Manaus (AM)

Segunda-feira, o dia preferido para iniciar uma mudança de vida, principalmente alimentícia.  Criada em 2003 nos Estados Unidos pelo publicitário Sid Lerner, a campanha Meatless Monday, elegeu esse dia da semana para fomentar o movimento presente em mais de 35 países. Desde 2009 o Brasil aderiu a “Segunda sem carne”, tornando-se o segundo maior País na adesão, depois dos EUA. 

A campanha mundial visa diminuir o consumo de proteína animal, substituindo-a pela vegetal, além de incentivar a redução de exploração animal. Segundo a nutricionista Flávia Ignez, além dos animais, a campanha também pensa na saúde das pessoas e no planeta, já que a pecuária é responsável por em torno de 60% do desmatamento da Amazônia.  

A Organização Mundial da Saúde aponta que o alto consumo de carne vermelha e processadas está associado ao desenvolvimento de câncer. Nesse sentido, o Instituto Nacional de Câncer recomenda que se coma carne no máximo duas vezes por semana. “Nos outros dias, a carne vermelha pode ser substituída por alimentos vegetais com alto índice de proteínas como o feijão, o grão de bico, a lentilha, a ervilha, brócolis e até a soja, desde que orgânica, já que nossa soja é transgênica.  Em muitas das vezes consumir proteína vegetal é mais barato que consumir a carne. Reduzindo o consumo de carnes já estaríamos, consequentemente, aumentando o consumo de fibras, reduzindo assim o risco de diabetes, síndrome metabólica, doenças cardiovasculares, hipertensão, alguns cânceres e obesidade”, aponta a nutricionista.

Decisão da família 

Em Manaus, o casal  Rodrigo Botelho e Giovanna Quercia é um dos adeptos da campanha Segunda sem carne. Eles aderiram ao movimento desde junho do ano passado, após uma série de leituras e assistir um documentário sobre os malefícios que consumo de carne ou de alimentos que tenham origem animal trazem para a saúde. “Resolvemos começar fazendo um teste e nos sentimos muito bem. Percebemos que inflamações como sinusite, rinite e outras foram parando após cortarmos o consumo de carne”, conta Rodrigo.

O empreendedor conta que no começo não foi difícil realizar a substituição da proteína animal pela vegetal. Desde que optaram pelo Segunda sem carne e aprovarem  os benefícios da escolha, o casal busca  seguir a linha do veganismo e aos poucos eles tem conseguido cortar o consumo de origem animal.

“Vimos que essa decisão era a melhor para a nossa família. Não sentimos dificuldades de adaptação, mas ainda sentimos de vez em quando um desejo de comer carne, por conta do costume mesmo, afinal, foram décadas comendo isso. Vez ou outra nos permitimos comer, mas virou a exceção e não a regra”, explica.

 Para quem quer aderir a campanha, a nutricionista Flávia recomenda começar a substituição da carne por vegetal aos poucos, para então depois pensar na  completa. “Sugiro que comecem pelas mais simples, como hambúrguer de grão de bico, ou almôndegas de lentilha por exemplo, que ficam muito gostosas”, recomenda.

Publicidade
Publicidade