Publicidade
Cotidiano
Notícias

Câncer de pele deve atingir mil pessoas em 2015 no Amazonas

Temperaturas elevadas no Estado escondem ameaça da doença  01/11/2015 às 12:43
Show 1
A exposição ao sol, que no Amazonas costuma ‘maltratar’ mais a pele e, este ano, levou a recordes de temperatura, é um dos fatores para o avanço da doença
Silane Souza Manaus (AM)

No ano em que as temperaturas bateram todos os recordes em décadas de medição, o Amazonas deve somar o registro de cerca de mil novos casos de câncer de pele, de acordo com estimativa do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca). São em torno de 970 do tipo não melanoma (de baixa mortalidade) e 20 do tipo melanoma (mais grave). Só a Fundação Alfredo da Matta (Fuam), referência no assunto, diagnosticou 220 casos de janeiro a outubro deste ano.

A dermatologista Patrícia Bandeira de Melo reconhece que o índice de câncer de pele é alto no Amazonas, sendo identificado diariamente, até em função da radiação ultravioleta proveniente do sol, que na região é intenso durante boa parte do ano. “Eu trabalho no Hospital Getúlio Vargas (HUGV) e não tem um dia de atendimento em que não diagnostico uma pessoa com câncer de pele. O índice é preocupante”, alertou.

Para reforçar o combate, a esse tipo de câncer, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) comemorará, no próximo sábado, o Dia Nacional de Combate ao Câncer da Pele. Na ocasião, milhares de dermatologistas realizarão consultas simultâneas em todo o País para análise, diagnóstico e posterior tratamento da doença. A campanha será promovida em hospitais públicos credenciados pela SBD.

Em Manaus, a ação ocorrerá das 8h às 14h, em três unidades públicas credenciadas, que são o Ambulatório Araújo Lima (AAL), do Hospital Universitário Getúlio Vargas, localizado na avenida Aripuanã, bairro Praça 14 de Janeiro, Zona Sul, a Fundação de Medicina Tropical (FMT), na avenida Pedro Teixeira, Dom Pedro, Zona Centro-Oeste, e a Fundação Alfredo da Matta, na avenida Codajás, Cachoeirinha, Zona Sul.

Patrícia, que é a coordenadora estadual da campanha, declarou que os atendimentos serão especialmente para pacientes com suspeita da doença. O objetivo, conforme a dermatologista, é acelerar o processo de diagnóstico e, consequentemente, da cura de tipo de câncer. “Uma vez diagnosticado, o paciente entra no sistema de saúde e é submetido aos tratamentos”, enfatizou.

Autoexame

Além de tentar rastrear casos de câncer de pele na fase inicial onde a chance de cura é quase total, a campanha tem por objetivo despertar nas pessoas a curiosidade e promover o autoexame da pele. “Essa ação visa alertar a população, que precisa atentar para pintas na pele que não existiam antes ou que mudaram seus aspectos. Mesmo nas formas mais avançadas, o câncer pode ser tratado e curado”, ressaltou Patrícia.

A dermatologista conta que a classe enfrenta diversas dificuldades na luta contra o câncer de pele no Amazonas. A principal delas é o fato do filtro solar não ser acessível para a população mais carente. Por isso, ela salientou que os profissionais defendem que o protetor seja distribuído gratuitamente nos postos de saúde.

Publicidade
Publicidade