Publicidade
Cotidiano
PREVENÇÃO

Câncer infantil: diagnóstico precoce aumenta a taxa de cura

A taxa de cura no Brasil é de 70% nos casos de crianças diagnosticadas a tempo e tratadas em centros especializados 21/08/2016 às 16:35
Show cancer1
Há 17 anos o Gacc-AM realiza atendimentos em serviços de psicologia, nutrição, assistência social, fisioterapia e lazer
Luana Gomes Manaus (AM)

O diagnóstico precoce é capaz de fazer a diferença na vida de pacientes com câncer infanto-juvenil. Conforme a Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica (Sobope), a taxa de cura no Brasil é de 70% nos casos de crianças diagnosticadas a tempo e tratadas em centros especializados. Fora deste cenário, cai para 48%.

A jovem Enne Rouse, de 17 anos, conhece bem esta realidade. Aos sete, sentiu dores na virilha e rapidamente foi levada ao médico pela mãe, o que permitiu o diagnóstico em fase inicial do Linfoma de Hodgkin, câncer que se origina nos linfonodos (gânglios).

Durante dois anos ela passou por quimioterapia e radioterapia. Dez anos depois da descoberta e após oito anos de controle, o prognóstico já é diferenciado. “No próximo ano, antes de completar dez anos de controle, eu vou ser liberada e receber o diagnóstico de que estou 100% curada. Isto tudo graças a minha mãe que me levou logo ao médico”, afirma em depoimento no vídeo do Grupo de Apoio à Criança com Câncer do Amazonas (Gacc-AM), que a acompanhou durante a trajetória.

Ativo há 17 anos, idade de Enne, o grupo auxilia atualmente 648 crianças com câncer infanto-juvenil, que acomete pacientes abaixo de 19 anos. 
Correspondendo entre 2% e 3% de todos os tumores malignos, é considerado raro quando comparado aos tumores do adulto, conforme a médica onco-hematologista pediátrica da Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (FHemoam), Mariana Boratto.

Ela completa que, diferentemente do câncer de adulto, as neoplasias nas crianças costumam afetar as células do sistema sanguíneo e os tecidos de sustentação. “No adulto, em muitas situações, o surgimento do câncer está associado claramente aos fatores ambientais como fumo e câncer de pulmão. Nos tumores da infância e adolescência, até o momento, não existem evidências científicas que permitam observar claramente essa associação”, pontua, ressaltando que os tipos mais comuns são leucemias, tumores do sistema nervoso central e 
linfomas.

De acordo com Mariana, nesta faixa etária   deve ser dada a importância ao diagnóstico precoce e a orientação terapêutica de qualidade. “Tão importante quanto o tratamento em si é a atenção dada aos aspectos sociais da doença, uma vez que a criança e o adolescente doentes devem receber atenção integral no seu contexto familiar. A cura não deve se basear apenas na recuperação biológica, mas também no bem-estar e na qualidade de vida. Neste sentido, não deve faltar  ao paciente e à sua família,  desde o início do tratamento, o suporte psicossocial necessário”, assevera.

McDia Feliz

No dia 27 de agosto, o Instituto Ronald McDonald promove a campanha McDia Feliz, tendo o Gacc-AM como instituição beneficiada no Estado. Conforme a coordenadora de eventos do grupo, Emmanuelle Pampolha, “muito mais que uma campanha de arrecadação, o McDia Feliz é uma iniciativa que mobiliza os diferentes setores da sociedade para contribuir no aumento dos índices de cura infantil e juvenil no Brasil”. Ela detalha que a estimativa é arrecadar R$ 180 mil com a venda dos tíquetes de sanduíches Big Mac e de camisetas do Gacc-AM.

Emmanuelle pontua que a arrecadação servirá para custear projetos importantes, como o Programa de Ampliação do Diagnóstico de Leucemia no Amazonas, que, através de parceria com a FHemoam, vai capacitar técnicos laboratoriais do interior do Estado, trazendo agilidade na análise de exames e no início no tratamento de pacientes.

Os interessados na compra de tíquetes antecipados podem entrar em contato direto com a entidade, localizada na Avenida Domingos Jorge Velho, n°14, D. Pedro II, ou através dos telefones: 3659-5005/5010.
 

Publicidade
Publicidade