Sábado, 24 de Agosto de 2019
Notícias

Candidato à reeleição no AM, José Melo deve declarar voto para presidente no 2º turno

Governador disse que se reunirá, essa semana, com aliados para decidir quem receberá o apoio dele na eleição para presidente



1.gif Cúpula do PSB no Amazonas anunciou ontem apoio à campanha do governador José Melo em evento, na sede do partido, que contou com a presença do candidato
09/10/2014 às 09:04

O governador José Melo (Pros), candidato à reeleição, anunciou ontem que vai declarar voto para presidente no segundo turno. “Eu tenho vários companheiros que, comigo, vamos reunir entre hoje (quarta-feira) e amanhã (hoje) nesse sentido (definir o apoio ao presidenciável). Eu não tomo decisão sozinho”, afirmou Melo, durante a coletiva de imprensa que selou o apoio do PSB à sua candidatura, na sede do partido, no Centro de Manaus.

Durante a pré-campanha, José Melo foi alvo de pressão dos aliados, que em sua maioria apóiam o candidato tucano Aécio Neves. O PSDB, inclusive, integra a coligação do candidato. O prefeito de Manaus, Artur Neto (PSDB), um dos principais cabos eleitorais de Melo, afirmou duas vezes que só apoiaria ao governo quem apoiasse Aécio Neves. Formalizada a aliança com o PSDB, depois do acirramento da campanha estadual e do próprio Aécio afirmar que não esperava mais o apoio do governador, Artur aceitou a “neutralidade” de Melo até o fim do primeiro turno.

No domingo, Artur Neto e seu filho Arthur Bisneto (PSDB), deputado federal mais votado do pleito, voltaram a cobrar o apoio do governador a Aécio Neves. O prefeito disse que não vai aceitar indefinição de Melo e que disso depende seu apoio. Ontem, José Melo disse que sua escolha levará em consideração o “povo do Amazonas”. “Para onde o povo do amazonas me disser que eu vá é para lá que eu vou. Eu vou seguir a orientação do povo e vou seguir o aconselhamento e a decisão que for tomada coletivamente pelos companheiros que estão me ajudando”, disse.

Em fevereiro, José Melo afirmou que “em nenhuma circunstância” a candidata petista, Dilma Rousseff, sofria o risco de que ele apoiasse adversários dela. “Mesmo que ela não me apóie e suba no palanque de outro, eu votarei nela e pedirei que meus amigos votem”, afirmou.

Sem a presença do deputado Marcelo Ramos (PSB), terceiro colocado no primeiro turno na disputa pelo governo, a executiva estadual da sigla formalizou, ontem, apoio “incondicional” à candidatura de Melo. O presidente de honra do PSB no Amazonas, Serafim Corrêa, afirmou que pesou na decisão a relação do governo com a Prefeitura de Manaus. Segundo ele, quando o PSB administrava Manaus e Eduardo Braga (PMDB) era governador, a relação “era ruim e conflituosa”. “Com atropelos, com interferências”, completou. “Vemos hoje o governador José Melo com outra postura, bem diferente daquela – de parceria, de entendimento e companheirismo com a Prefeitura de Manaus. Nós preferimos que haja e que continue essa relação do governo com as prefeituras”, disse Serafim.

Rede ficará neutra no Amazonas

A Rede Sustentabilidade, partido que Marina Silva tenta criar, não acompanhou a decisão do PSB-AM de apoio a José Melo. “Ficaremos neutros”, afirmou ontem Luciana Valente, uma das articuladoras da sigla no Estado. “Não vamos apoiar o candidato José Melo. Não vamos seguir essa decisão até porque somos partidos diferentes”, acrescentou.

Quanto à decisão de apoio a presidente, Luciana Valente disse que os membros do Amazonas foram ouvidos por Marina e que estão divididos entre Dilma Rousseff e Aécio Neves. “Vai ter uma orientação nacional, mas não somos obrigados a seguir”, explicou a militante da Rede.

‘Em nenhum momento me pediram cargo em troca’

José Melo afirmou que o PSB não pleiteou cargos em um possível governo seu. “Você acha que no PSB não tem grandes quadros?”, respondeu, ao acrescentar que seu governo será técnico e que toda ajuda para “construir um Amazonas melhor” será bem vinda. “Em nenhum momento, nenhum deles me pediram cargo em troca. Foi uma opção”, ressaltou.

O candidato disse que ainda é cedo para dizer se Serafim Corrêa, que foi eleito deputado estadual, fará parte da sua base de sustentação na Assembleia Legislativa, caso seja reeleito. Melo também afirmou que há “convergência filosófica” entre o PSB e o que ele pensa e convergência de propostas. E, na coletiva, afirmou que dará independência financeira à Universidade do Estado do Amazonas (UEA), uma das bandeiras dos socialistas.

Serafim disse que não ouviu de Marcelo Ramos nenhuma divergência sobre o apoio a Melo. “Essa é uma decisão partidária, como tal, coletiva. Eu não ouvi dele em relação à decisão. Ele apenas disse que não vai para a campanha, e isso tem que ser respeitado.

Presente na coletiva, o senador eleito Omar Aziz (PSD) afirmou que Marcelo Ramos confirmou a ele por telefone que vota em Melo. “Ele não participará da campanha. Acho que é uma decisão pessoal que precisa ser respeitada. Mas, vota no Melo. Ele apóia o Melo. Quando a gente vota em uma pessoa, a gente apóia”, afirmou Omar Aziz.

Depois da confirmação, José Melo agradeceu. “Me sinto muito honrando com o voto do Marcelo Ramos. Ele é um moço talentoso, que sai dessa eleição vitorioso”, disse. Procurado pela reportagem, Marcelo Ramos disse que somente hoje anunciará se revelará ou não seu voto. “Quem fala por mim sou eu. Eu levo em consideração a posição do PSB e da Rede, mas a decisão é minha”, disse.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.