Terça-feira, 23 de Abril de 2019
publicidade
1.gif
publicidade
publicidade

Notícias

Candidatos ao Governo do AM desfrutam de tempo equilibrado em propagandas de TV e rádio

Após definição de alianças, Eduardo Braga deve ter 9 minutos e 51 segundos de propaganda; José Melo terá 8 minutos e 11 segundos


02/07/2014 às 10:27

Com o fim do prazo para as convenções partidárias na segunda-feira, dia 30 de junho, a definição final das alianças para a disputa ao governo do Amazonas também revela o desenho da distribuição do tempo de televisão que cada candidato terá para explorar, nos blocos da manhã e da noite da propaganda política na TV e no rádio.

A CRÍTICA fez uma estimativa com base nas regras eleitorais na qual o candidato Eduardo Braga (PMDB) figura com o maior tempo de televisão, com 9 minutos e 51 segundos, seguido de José Melo (Pros), com 8 minutos e 11 segundos, e Marcelo Ramos (PSB), que chega a 1 minuto e 59 segundos.

Na sequência, Abel Alves (Psol) e Chico Preto (PMN) totalizam 1 minuto e 17 segundos, cada. E com os menores tempos ficam Herbert Amazonas (PSTU) e Luiz Navarro, com 1 minuto e 11 segundos, cada candidato. Em agosto, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgará o tempo exato de cada candidatura.

O secretário-geral do PMDB, Miguel Capobiango, disse que a campanha de Eduardo Braga vai usar o horário na televisão para expor o programa de governo do candidato. “Essa vai ser a tônica”, disse. “Obviamente, o programa está baseado em muitas plataformas que já foram usadas nas gestões anteriores dele no governo”, completou.

A estratégia do Pros é “unir o time de aliados e as políticas públicas propostas” na campanha, segundo informou o secretário-geral da sigla, Radyr Júnior. “Vamos buscar preencher esse tempo de TV para pulverizar nossas ideias para o interior e a capital, atender aos anseios da população”, disse.

Marcelo Ramos disse que os quase dois minutos que terá é “um tempo razoável” para mostrar as ideias da candidatura dele. No entanto, ele considera a campanha na televisão “menos importante”. “Na TV você só fala e é preciso dialogar, conversar”, afirmou, ao citar a importância das redes sociais. “Não sou artificial nas redes. Sou de fato ativo e acho que nessa campanha a Internet vai ser mais importante que antes”, disse.

Na convenção do PSTU, no sábado, Herbert Amazonas, disse que apesar da candidatura dele contar com pouco tempo de televisão é possível superar as dificuldades. Nas últimas campanhas, Herbert e Luiz Navarro têm saído do amadorismo de suas campanhas na televisão, aperfeiçoando as produções que vão ao ar no horário eleitoral.

Para a disputa desse ano, conforme o calendário eleitoral do TSE, a propaganda eleitoral gratuita terá início no dia 19 de agosto e fim no dia 3 de outubro. Os dois blocos diários de 25 minutos, um de manhã e um à noite, serão divididos entre os presidenciáveis, candidatos a governador e senador nos Estados e, ainda, entre os candidatos a deputado.

Bancadas definem os tempos

O cálculo do tempo de propaganda na TV e no rádio leva em consideração os 1.500 segundos, ou 25 minutos, de duração dos blocos de propaganda gratuita. Conforme a regra vigente, 2/3 desse valor (1.000 segundos) devem ser distribuídos entre as bancadas dos partidos na Câmara dos Deputados. Coligações com partidos que tenham mais deputados federais terão maior tempo de televisão.

O PT, com 88 deputados, acrescenta 2 minutos e 51 segundos à candidatura de Braga; o PMDB, com 73 parlamentares, contribui com 2 minutos e 22 segundos para seu candidato; o PP, com 39 deputados, cede 1 minuto e 16 segundos para a campanha de Braga.

O PSD, que tem 45 deputados, leva 1 minuto e 27 segundos para a candidatura de José Melo; o PSDB, com os seus 44 deputados, agrega 1 minuto e 25 segundos à candidatura do governador; o PR, com 32 parlamentares, cede 1 minuto e 2 segundos a Melo; o DEM, com 28 deputados, contribui com 54 segundos para a campanha de Melo. O PSB, com seus 25 deputados, tem 48 segundos para seu candidato, Marcelo Ramos. Psol e PMN, com três deputados, cada, oferecem 6 segundos aos seus candidatos, Abel Alves e Chico Preto, respectivamente.

O tempo de cada um

publicidade

9 min 51 s

Eduardo Braga é o campeão no quesito. A soma das bancadas dos partidos que compõe sua aliança chega a 267 deputados federais. Há um mês, o senador afirmou que a discussão com os partidos gira em torno da construção do plano de governo.

8 min 11 s

O atual governador José Melo agregou 16 partidos em sua aliança. Somadas as bancadas desses partidos, chega-se a 215 deputados federais. A chapa tem partidos com diferentes presidenciáveis: Dima, Aécio, Pastor Everaldo e Eduardo Jorge.

1 min 59 s

O candidato do PSB, Marcelo Ramos, com uma chapa “puro-sangue”, figura como o terceiro maior tempo. A bancada do PSB na Câmara dos Deputados tem 25 parlamentares. Ramos diz que vai apostar nas redes sociais.

1 min 17 s

Chico Preto, do PMN, fica empatado com o candidato do Psol. Os dois partidos têm apenas três representantes na Câmara dos Deputados. O candidato manteve-se na disputa após rumores de que desistiria para formar aliança com o PMDB.

1 min 17 s

Pelo Psol, Abel Alves disputará pela primeira vez o governo. O ex-deputado fez sua convenção no município de Tefé, em meio à insatisfação de militantes de Manaus do Psol. O partido não conseguiu coligar com outras legendas da esquerda.

1 min 11 s

Sem acordo para formar uma frente de esquerda, os presidentes do PSTU e PCB, Herbert Amazonas e Luiz Navarro, serão os candidatos pelas suas siglas. Os dois partidos não têm representantes na Câmara dos Deputados.

 

publicidade
publicidade
TV, celular e parafusos são apreendidos em presídio de Manaus durante revista
Senado aprova projeto que facilita cancelar serviço de TV por assinatura
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.