Sábado, 07 de Dezembro de 2019
POLÍTICA

Candidatos prestam apoio a Bolsonaro após atentado em Juiz de Fora

Candidato do PSL foi esfaqueado durante ato de campanha em Juiz de Fora, em Minas Gerais. Suspeito foi preso pela PM



bolronaro_05810E4F-58CF-4DEF-AE5C-7E505BF47689.jpg Foto: Reprodução
06/09/2018 às 16:03

Candidatos prestaram apoio ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) após um atentado na cidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais, onde ele fazia ato de campanha. Segundo a Polícia Militar, o candidato foi esfaqueado por um homem identificado Adélio Bispo de Oliveira, de 40 anos.

Nas redes sociais, os candidatos João Amoêdo (Novo), Ciro Gomes (PDT) e Guilherme Boulos (PSOL) se solidarizaram após o atentado. O agressor foi preso pela PM. De acordo com um dos filhos de Bolsonaro, o deputado Flávio Bolsonaro, o corte foi superficial e o candidato passa bem.



João Amoêdo se pronunciou no Twitter após o caso. “É lamentável e inaceitável o que aconteceu com Jair Bolsonaro. Independentemente de divergências políticas, não é possível aceitar nenhum ato de violência. Que o agressor sofra as devidas punições. Meus votos de melhoras para o candidato”.

Ciro Gomes também falou sobre o atentado contra o adversário. “Acabo de ser informado em Caruaru, Pernambuco, onde estou, que o Deputado Jair Bolsonaro sofreu um ferimento a faca. Repudio a violência como linguagem política, solidarizo-me com meu opositor e exijo que as autoridades identifiquem e punam o ou os responsáveis por esta barbárie”, declarou.

O candidato do PSOL, Guilherme Boulos, cobrou investigação sobre o fato. “Soube agora do que ocorreu com Bolsonaro em Minas. A violência não se justifica, não pode tomar o lugar do debate político. Repudiamos toda e qualquer ação de ódio e cobramos investigação sobre o fato”.

A candidata Marina Silva, da Rede, disse que o ato é um atentado contra a democracia. "A violência contra o candidato Jair Bolsonaro é inadmissível e configura um duplo atentado: contra sua integridade física e contra a democracia. Neste momento difícil que atravessa o nosso país, é preciso zelar com rigor pela defesa da vida humana e pela defesa da vida democrática e institucional do nosso país. Este atentado deve ser investigado e punido com todo rigor". 

O petista Fernando Haddad disse que repudia o ato. "Repudio totalmente qualquer ato de violência e desejo pronto restabelecimento a Jair Bolsonaro". 

O tucano Geraldo Alckmin declarou que qualquer ato de violência é deplorável. "Política se faz com diálogo e convencimento, jamais com ódio. Qualquer ato de violência é deplorável. Esperamos que a investigação sobre o ataque ao deputado Jair Bolsonaro seja rápida, e a punição, exemplar". 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.