Publicidade
Cotidiano
Notícias

Careiro da várzea ganha abrigo para flagelados pela cheia

A Defesa Civil do Estado providencia hoje a transferência de famílias atingidas pela cheia para uma balsa com barracas 12/06/2015 às 11:26
Show 1
Balsa com abrigos humanitários, como essa usada em 2012, serão instaladas hoje para atender os flagelados da enchente
nelson Brilhante ---

Vitimados pelos efeitos da enchente dos rios Negro e Solimões, moradores do Município de Careiro da Várzea (distante 29 quilômetros de Manaus), a partir de hoje passam a receber mais ajuda do Governo do Amazonas por meio da Defesa Civil do Estado. Abrigos humanitários estão sendo montados em uma balsa, que será enviada ao município na manhã de hoje para dar suporte aos desabrigados da cidade por conta da enchente. O órgão também envia para a mesma localidade 50 toneladas de cestas básicas.

As equipes sairão da sede da Defesa Civil e seguirão até o porto da Manaus Moderna, área atrás do Pronto Atendimento ao Cidadão (PAC) do bairro Educandos, Zona Sul. De lá seguirão de lancha para um porto localizado no bairro Colônia Antônio Aleixo, Zona Leste, onde serão feitas imagens dos abrigos e entrevistas. O retorno será pela a Manaus Moderna, onde haverá o carregamento de cestas básicas para o município Careiro da Várzea.

A estrutura vai atender a 14.142 pessoas de 2.828 famílias, que estão com suas residências completamente alagadas.

O Governo do Estado já disponibilizou R$ 3,4 milhões que foram divididos entre 12 municípios afetados pela enchente, sendo R$ 550 mil para Boca do Acre, R$ 500 mil para Itacoatiara, R$ 300 mil para Benjamin Constant, Eirunepé, Careiro da Várzea e Manacapuru e R$ 200 mil para Envira, Itamarati, Carauari, Maraã, Juruá e Jutaí.

Estão em situação de alerta os municípios de Autazes, Silves e Itapiranga (Médio Amazonas), São Sebastião do Uatumã, Nhamundá e Maués (Baixo Amazonas) e Nova Olinda do Norte (Madeira).

Em situação de emergência estão 42 municípios. São seis na calha do Juruá (Itamarati, Guajará, Ipixuna, Juruá, Eirunepé e Envira), seis na calha do Purus (Canutama, Tapauá, Carauari, Pauiní, Lábrea e Beruri), sete na região do Alto Solimões (Atalaia do Norte, Benjamin Constant, Tabatinga, Amaturá, Santo Antônio do Iça, São Paulo de Olivença e Tonantins), cinco no Médio Solimões (Tefé, Coari, Uarini, Alvarães e Fonte Boa), nove no Baixo Solimões (Anamã, Anori, Jutaí, Manacapuru, Iranduba, Careiro da Várzea, Codajás, Caapiranga, Manaquiri), dois no Médio Amazonas (Itacoatiara e Urucurituba), três no Baixo Amazonas (Urucará, Boa Vista do Ramos e Parintins), além de Maraã, no Japurá, Borba, no Madeira e Manaus, no Rio Negro.

Por conta da Campanha Governo Solidário, a Defesa Civil já conseguiu a doação de 454 toneladas de alimentos. No total, a Ajuda Humanitária do Governo já contabiliza

526 toneladas de alimentos não perecíveis, além de kit´s dormitório (colchões, redes, mosquiteiros) kit´s de higiene pessoas, medicamentos, filtros de água, hipoclorito de sódio.

Por conta da Campanha Governo Solidário, a Defesa Civil já conseguiu a doação de 454 toneladas de alimentos. No total, a Ajuda Humanitária do Governo já contabiliza 526 toneladas de alimentos não perecíveis, além de kit´s dormitório (colchões, redes, mosquiteiros) kit´s de higiene pessoas, medicamentos, filtros de água, hipoclorito de sódio.

Publicidade
Publicidade