Publicidade
Cotidiano
Notícias

Carta Encíclica do Papa Francisco faz alerta sobre o meio ambiente

Em Carta de 200 páginas, papa Francisco chama a atenção para as mudanças climáticas e para os danos ambientais porvir 19/06/2015 às 12:02
Show 1
Parte da Alfândega do Porto de Manaus está tomada pelas águas do rio Negro
Náferson Cruz ---

A redução dos impactos climáticos e os cuidados quanto ao uso da terra para não prejudicar o meio ambiente estão entre as recomendações contidas na “Carta Encíclica”, divulgada ontem, pelo papa Francisco, no Vaticano.

Em quase 200 páginas, o documento batizado de “Laudato Si” (Louvado Sejas”, em italiano medieval), chama a atenção para o esforço de todos, para políticas que reduzam drasticamente os gases poluentes e cita a “Amazônia” e a bacia fluvial do “Congo”, na África, como regiões de grandes recursos naturais para o mundo. Entretanto, Francisco menciona no texto, que desaprova as nações que não cooperam.

A carta pede ainda o previsível controle da água por parte de grandes empresas mundiais. Francisco teme que o conflito pela água “se converta em uma das principais fontes de conflitos deste século”, escreveu o pontífice.

Para o padre Adelson Araújo, doutor em Teologia, responsável pela formação dos jovens jesuítas no Brasil, o posicionamento do papa Francisco demonstra a sua sensibilidade pelas questões ecológicas e pela preservação do meio ambiente, especialmente nessas áreas do planeta que ainda preservam grandes extensões de florestas e uma rica biodiversidade. “Creio que a publicação da encíclica Laudato si é uma das formas que ele está buscando para ajudar a humanidade”, comentou Adelson.

Impactos

Nos últimos cinco anos, as mudanças climáticas provocadas pela emissão de gases poluentes na atmosfera tem causado o desequilíbrio ambiental e, posteriormente, afetado as cidades com o desgelo nas regiões polares e, como consequência, a elevação dos rios em áreas nunca antes inundadas. A exemplo de parte dos municípios no interior do Amazonas, que deste 2009 sofre com grandes enchentes.

Nos últimos dados repassados pela Defesa Civil do Estado, o número de cidades afetadas chega a 42. A situação de Manaus, que teve emergência decretada, também foi reconhecida pelo órgão. A Defesa Civil estima que 435 mil pessoas - o que equivale a 87 mil famílias - já foram afetadas pela subida do nível das águas.

Em relação ao apoio às famílias impactadas pelos danos ambientais, Adelson Araújo, mencionou que “bom seria se os governantes fossem os primeiros a dar bom exemplo do uso racional dos recursos. “Se cada um, dentro das suas possibilidades, se comprometer com esta causa descrita na Carta, creio que conseguiremos deixar para os nossos filhos um planeta mais saudável”, completou.

Consequências ambientais

Os pesquisadores que estudam o clima alertam que as mudanças climáticas terão graves consequências para a vida na Terra. Para o analista ambiental, Geandro Pantoja, a “Carta Encíclica” é pertinente no contexto atual de intensificação dos efeitos das mudanças climáticas (grandes cheias constantes na Amazônia, secas intensas no sudeste e nordeste), decorrentes de impactos ambientais causados pelas ações que interferem nos ciclos ecológicos, como os grandes desmatamentos dos biomas. Quanto ao alerta para necessidade de controle e consumo responsável da água, Pantoja, ressalta que é necessário uma reflexão da sociedade para mudar atitudes pelo bem do planeta.

O pesquisador e analista ambiental, Rodrigo Souza, alerta que, para evitarmos mudanças radicais de temperatura, é preciso agir agora. “Não podemos interromper os efeitos das emissões já feitas de gases de efeito estufa. Mas nós podemos influenciar o futuro”, comentou. 


Publicidade
Publicidade