Publicidade
Cotidiano
Notícias

Casal indiciado por morte de filho de dois anos troca acusações durante apresentação na delegacia

Os dois acusados de matar o próprio filho com pancadas foram apresentado à imprensa pela Polícia Civil. A criança sofreu três paradas cardíacas na madrugada da última quinta-feira (11) em decorrência de hemorragia interna causada por perfuração de órgãos da região do abdômen 08/10/2014 às 08:57
Show 1
Casal trocou acusações mútuas sobre a morte do próprio filho de dois anos e onze meses de idade
acritica.com Manaus (AM)

Diego Emanuel Pereira de Oliveira, de 24 anos, e Sarah Castro Lopes, de 22, foram apresentados à imprensa na tarde desta sexta-feira (12) na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) pela morte do próprio filho de dois anos e 11 meses, Carlos Daniel Castro Lopes.

Entre muitas trocas de acusações, os detalhes do caso vieram à tona: na noite do crime, o casal confirmou que a criança foi agredida pelos dois. Diego disse que bateu com a criança com um cabo de vassoura, quebrando o obejto na região do tórax de Carlos Daniel, e a mãe confessou que agrediu a criança na cabeça com uma jarra de suco após ele vomitar a janta.

“Eu trabalho como panfleteira de uma ótica. Quando cheguei em casa já vi a vassoura quebrada. Fui dar a janta dele e ele não quis mais comer depois de um tempo e vomitou tudo. Fiquei brava e joguei uma jarra de suco na cabeça dele”, comentou Sarah.

O pai afirmou para a polícia que havia agredido o filho por que o pequeno haveria mexido na bicicleta de outra criança, moradora da mesma rua Jacamin, conjunto Campos Sales, no Tarumã, Zona Oeste de Manaus, onde a família residia. Carlos sofreu três paradas cardíacas na madrugada da última quinta-feira (11) e morreu no pronto socorro do bairro Compensa.

"Essa mulher fez trabalho de macumba para mim. Meu corpo está cheio de mancha por causa dela. Minha vida agora sem meu filho acabou. Assim que eu for para a cadeia vou me enforcar", admitiu Diego, visivelmente alterado.

Segundo a tia da criança, Ester Castro Lopes, 24, a criança começou a morar com os pais há mais ou menos um mês e meio e, desde que mudou de casa, começou a aparecer com hematomas constantemente. A tia relatou, ainda, que desde que o menino nasceu ela cuidou dele porque a irmã, mãe da criança, não tinha condições financeiras de criar o menino.

A delegada que cuida do caso, Débora Mafra, informou que o casal é usuário de drogas. Os dois foram indiciados por homicídio e podem ainda ter algum agravante de acordo com o juiz que cuidar do caso. Eles foram encaminhados para a Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, no Centro de Manaus.

*Com informações do repórter Jhonny Lima


Publicidade
Publicidade