Publicidade
Cotidiano
Notícias

‘Caso Nicolau’: Manifestantes pedem à ALE-AM para investigar

Deputados foram “convocados” a apurar com rigor a denúncia de desvio de R$ 4,9 milhões, feita pelo MPE 12/07/2013 às 08:06
Show 1
Protestos em frente ao prédio da Assembleia Legislativa, onde integrantes do UMM estão acampados há 12 dias
André Alves ---

Aos gritos de “Fora Nicolau”, manifestantes que participaram, nesta quinta-feira (11), de protesto em frente à Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), pediram, mais uma vez, que as denúncias de corrupção que envolvem o ex-presidente da Casa, Ricardo Nicolau (PSD), fossem apuradas com rigor pelo Poder Legislativo Estadual. Uma faixa estendida no carro de som usado pelos manifestantes dizia “Fora Nicolau”.

“Entendo, como representante do movimento social, que já era tempo da Assembleia ter dado uma resposta firme. O que dá a entender é que os deputados estão protegendo o Ricardo Nicolau. Há uma proteção partidária também”, disse o secretário do Conselhão Comunitário da Zona Norte, Salazar de Souza, que participava do protesto. Na avaliação dele, o fato de Ricardo Nicolau pertencer ao mesmo partido do governador Omar Aziz (PSD) e do presidente da ALE-AM, Josué Neto, contribui para o que ele chamou de “proteção” ao ex-presidente da Assembleia. “Não conseguimos entender qual é o posicionamento do deputado Josué Neto. Nós sabemos quando alguém está se esquivando. Percebemos que todo mundo está se esquivando”, opinou o ativista.

O educador Álvaro Souza da Silva, professor do ensino fundamental, que também participava do protesto em frente ao Legislativo, defendeu o afastamento de Nicolau. “Ele foi eleito pelo povo, mas, na medida que não representa os valores da população, deve ser afastado. Tem direito à defesa, mas é preciso respeitar a vontade do povo”, comentou. O estudante Vítor Santana, 25, do Instituto Federal de Educação, seguiu a mesma linha de pensamento. “Após a gestão dele (Ricardo Nicolau), começou a aparecer muitos fatos. O mandato dele foi falho. A população tem o direito de reivindicar a saída dele. Mas é também um direito da Casa decidir se vai ou não investigar”, disse.

FAIXAS

Manifestantes que acampam em frente da Assembleia há 12 dias dizem que durante três noites, neste semana, pessoas não identificadas retiraram durante a madrugada as faixas com dizeres contra Ricardo Nicolau. Nas grades da Assembleia, novos cartazes foram afixados por eles, desta vez com as frases: “Fora Nicolau Ladrão de Faixa”. Em outras duas faixas constam os dizeres “Nicolau Ladrão” e “Cadê meu dinheiro Nicolau”.

Josué Neto aguarda documento

O presidente da ALE-AM, Josué Neto, informou que até esta quinta-feira aguardava o retorno à mesa diretora da representação que pede a abertura de investigação sobre o “Caso Nicolau”. O documento estava na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Em reunião na quinta-feira, a CCJ decidiu devolver a representação à mesa diretora por entender que a comissão não tem competência para tratar de questões que envolvem o decoro parlamentar.

O pedido de abertura de uma comissão investigatória para apurar a denúncia de superfaturamento de R$ 4, 9 milhões na obra do edifício-garagem da ALE-AM, durante a gestão de Ricardo Nicolau, foi feito pelo Instituto Amazônico da Cidadania (Iaci) e subscrito por quatro deputados – Luiz Castro (PPS), Tony Medeiros (PSL), Marcelo Ramos (PSB) e José Ricardo Wendling (PT), da oposição.

Por duas vezes, nos meses de abril e junho, Marcelo Ramos, Luiz Castro e José Ricardo pediram que a mesa diretora abrisse um procedimento para investigar as denúncias. Os três parlamentares afirmaram que não obtiveram resposta. Ontem, Josué Neto disse que os pedidos dos parlamentares foram anexados à representação do Iaci por se tratar do mesmo tema. “Vamos cumprir a lei e o que diz o Regimento Interno”, declarou.

Publicidade
Publicidade