Publicidade
Cotidiano
Notícias

Centenas de eleitores que vivem em Manaus mantêm títulos nos municípios onde nasceram

Às vésperas da eleição, muitos amazonenses estão viajando para os municípios do Estado para poderem votar neste domingo (5)   04/10/2014 às 11:18
Show 1
Rodoviária registrou a saída de eleitores para Manacapuru, Iranduba, Novo Airão, Itacoatiara, Rio Preto da Eva e Presidente Figueiredo
Luciano falbo ---

“Nunca pensei em mudar minha seção eleitoral para cá, transferir o meu título para Manaus. Faço questão de todo ano ir votar em Parintins (distante 325 quilômetros de Manaus)”. A afirmação é do artista plástico parintinense Nil Martins, 42. Ele é um dos milhares de interioranos que vivem em Manaus e que saem rumo aos seus municípios de origem para votar.

A reportagem de A CRÍTICA esteve ontem na Rodoviária de Manaus e na orla da cidade, nas proximidades da Feira Manaus Moderna, acompanhando a saída dos eleitores em direção aos municípios. Nos dois locais, havia agitação e material de campanha dos candidatos jogados no chão. Não foi registrada fiscalização eleitoral enquanto a equipe esteve nos dois locais.

Eleitores ouvidos por A CRÍTICA negaram qualquer auxílio de candidato no pagamento das passagens. Eles afirmaram que vão votar pensando em melhorias para a cidade natal mesmo morando em Manaus. “Eu penso mais na cidade de lá. Penso mais no meu povo. Eu espero melhorias para lá. Eu vou dedicar o meu voto aos candidatos que apresentaram propostas para o interior e principalmente para a minha Parintins”, afirmou Nil Martins, que mora há 10 anos em Manaus.

A aposentada Maria Luci Ferreira, 62, divide seu tempo entre Manaus e Novo Airão (a 115 quilômetros da capital), mas vota em Manacapuru (a 84 quilômetros). “Quando estou em Manaus, acho ruim ir votar, igual agora, porque é ruim a viagem. Demora, o ônibus nesses dias perto da eleição. Mas, lá de Novo Airão é bem pertinho, eu acho”, afirmou Luci Ferreira.

Paraenses radicados em Manaus também mantêm a tradição de votar em seus municípios de origem. É o caso da dona de casa Paula Cristina Silva, 25, natural de Juruti. “Eu vivo aqui há cinco anos. Justifiquei uma vez porque não deu para eu ir por motivo de saúde, fui numa e estou indo agora votar”, disse. A eleitora admitiu que até tentou uma vez transferir o domicílio eleitoral para Manaus. “Faltou interesse”, acrescentou.

Questionada sobre como fará para escolher os candidatos, uma vez que não tem acesso à propaganda de rua e de televisão dos candidatos do seu Estado, Paula Cristina disse que para os cargos de senador, deputado e governador pedirá auxílio da família e dos amigos para definir os escolhidos. “Vou com eles que estão no dia a dia lá e me dão uma orientação de como estão as coisas na política, lá”, disse. “Para presidente já saí com a escolha daqui”, completou.

Publicidade
Publicidade