Publicidade
Cotidiano
ATAQUE

Centro espírita de matriz africana é atacado pela 3ª vez em menos de um mês no Rio

O portão da Casa do Mago foi incendiado. Governo acredita em ataque de milícia motivada por intolerância religiosa 16/08/2017 às 12:24
Show mago vl
Foto: Reprodução
Flávia Villela (Agência Brasil) Rio de Janeiro (RJ)

Pela terceira vez em menos de um mês, o centro espírita Casa do Mago, no Humaitá, na Zona Sul do Rio, sofreu um ataque durante a madrugada. O portão do centro foi incendiado hoje (16), por volta da 1h. Câmeras de segurança filmaram o momento. De acordo com o Corpo de Bombeiros, não houve vítimas.

O caso foi registrado na 10ª Delegacia de Polícia, em Botafogo. De acordo com a Polícia Civil, as imagens colhidas estão sendo analisadas e um inquérito foi aberto para verificar as possíveis motivações do crime.

No dia 31 de julho, dois homens foram filmados ateando fogo no portão à noite. Dois dias depois, um artefato explosivo foi arremessado contra a casa. Não houve feridos em nenhuma das ocasiões e ninguém foi preso.

Para o secretário de Estado de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos, Átila Nunes, uma milícia religiosa pode estar envolvida nos casos. “Os criminosos, assim como no último ataque, utilizaram uma bomba caseira, feita com pregos, chegaram de carro e com os rostos cobertos. A perseguição não é apenas contra o Mago, pois se fosse algo pessoal eles também poderiam agir fora do templo. A perseguição é religiosa”, disse.

“Ao atacarem um templo de matriz africana, que expõe imagens de santos e cultua os orixás, eles atacam a religião e todos os umbandistas e candomblecistas. Milícias religiosas podem estar por trás de ataques à Casa do Mago. Isso é intolerância religiosa”, destacou o secretário Átila Nunes.

Apenas no último ano, 79 denúncias de casos de intolerância religiosa foram registradas no estado por meio do Disque 100. O número representa um crescimento de 119%, quando comparado ao ano anterior.

Publicidade
Publicidade