Sábado, 19 de Setembro de 2020
SAÚDE

Cerca de 49% dos usuários não compareceram a consultas e exames no AM

Balanço do Complexo Regulador mostra alta no absenteísmo desde a retomada de atendimentos presenciais na rede pública de saúde. Susam vai remarcar procedimentos



9c265eec-127e-49ce-8905-85966628789e_8CCBA0C9-C658-4E89-AB60-5915946009D9.jpg Foto: Divulgação/Secom
16/07/2020 às 15:39

Dos 192.932 exames e consultas marcados em junho, após a retomada dos procedimentos eletivos que foram suspensos na rede pública de saúde do Amazonas por conta da pandemia de Covid-19, apenas 98.831 usuários compareceram. O balanço do Complexo Regulador do Amazonas mostra que, entre 22 de junho e 10 de julho, 48,8% dos usuários deixaram de comparecer à consulta ou ao exame na data marcada. 

Nas policlínicas da rede estadual de saúde, o absenteísmo (termo técnico para o não comparecimento) alcançou números ainda maiores, chegando a 62%. Dos 4.658 agendamentos, 2. 889 não foram realizados porque os usuários faltaram. 



Um exemplo é a policlínica Codajás, na Cachoeirinha, onde das 1.127 consultas e exames agendados na primeira semana de julho, apenas 418 pessoas compareceram. Na policlínica Danilo Corrêa, na Cidade Nova, foram feitos 1.260 agendamentos e apenas 725 pacientes compareceram em julho.

A gerente de ambulatórios da Susam, Márcia Murad, reforça que o não comparecimento dos usuários às consultas e exames marcados torna-se prejudicial para toda a rede e acaba retirando a oportunidade de mais pessoas serem atendidas. 

"A falta do usuário à consulta traz prejuízos à rede de saúde, pois a vaga foi ocupada e não aproveitada e também para o usuário que, por algum motivo, não compareceu e também não avisou ao serviço em tempo de reaproveitar a vaga para outra pessoa que necessita do mesmo atendimento", afirma Márcia Murad.

A coordenadora do Complexo Regulador da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), Keila do Valle, ressalta que o aumento das faltas pode ser interpretado como uma consequência da pandemia da Covid-19, se for considerado que algumas pessoas ainda não se sentem seguras para ir a uma unidade de saúde, mas também pode estar relacionada à dificuldade no contato com o usuário.

“As equipes de saúde das unidades estão ligando para todos que tinham procedimento agendado para avisar a data do reagendamento, mas algumas pessoas mudaram de telefone ou não atendem às ligações", relata Keila.

"Por isso, a recomendação da secretaria é de que as pessoas que tinham consulta ou exame agendados para o período entre março e junho procurem a unidade de saúde onde fez o pedido para atualizar o cadastro telefônico ou solicitar informação sobre a nova data do procedimento”, completou.

*Com informações da Assessoria de Imprensa

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.