Domingo, 21 de Abril de 2019
publicidade
1.jpg
publicidade
publicidade

Notícias

Cheia no rio Amazonas chega até a Cidade Garantido, em Parintins

Devido a enchente o boi-bumbá Garantido deve mudar de sede. A produção do bumbá será transferida para o  Bumbódromo, na próxima sexta-feira. De acordo com o presidente, o custo com as despesas adicionais para a mudança é de R$ 400 mil


07/06/2012 às 16:53

Com a Cidade Garantido alagada pela enchente do rio Amazonas a diretoria do boi deverá se mudar para o Bumbódromo na próxima sexta-feira (11). A informação foi dada pelo do presidente da agremiação folclórica, Telo Pinto, na manhã desta segunda-feira (7).

De acordo com o presidente, na quarta-feira (9) chegarão tendas gigantes que serão montadas na concentração do Centro Cultural, onde funcionará o galpão improvisado do bumbá para a construção de alegorias para o Festival Folclórico de Parintins 2012.

“Hoje começaremos a arrumar todo o material do boi para a mudança. Será necessária uma força tarefa porque todos os segmentos do boi como batucada, vaqueirada, setor de costuras, tribos, galera e alegóricos e setor administrativo tudo funcionam na Cidade Garantido”, afirmou o presidente.

Telo esteve na semana passada em Manaus conversando com empresários e buscando apoio das autoridades estaduais para amenizar o drama do Garantido.

“Conseguimos duas tendas gigantes e outras menores. Mas precisamos de outros suportes logísticos para o translado e aí você inclui banheiros químicos, instalação de rede elétrica e hidráulica, construção de subestação de energia, kit de segurança para os trabalhadores que farão o translado da alegorias até a concentração do Bumbódromo e tudo isso requer custo”, completou.

De acordo com o presidente as despesas adicionais para a mudança é de R$ 400 mil.

Na grande cheia de 2009 o boi Garantido passou pela mesma situação e foi terminar os serviços para o festival no Bumbódromo, sob a fiscalização rigorosa do Ministério Público do Trabalho (MPT).

As duas tendas, que serão armadas depois de amanhã na concentração, somarão 100 metros de cumprimento por 25 de largura e uma altura de 10 metros.


Na Cidade Garantido os trabalhos estão praticamente interrompidos porque as águas do rio Amazonas inundaram os galpões e atingiram a subestação e rede de energia elétrica. O porto da “cidade” onde fica instalado a régua fluviométrica, da Capitania dos Portos, está submerso.  

“Como trabalhamos com solda e ferragem fica difícil realizar o trabalho uma vez que a fiação subterrânea de energia e as galerias foram atingidas pelas águas”, enfatizou o artista Junior de Souza. O complexo de prédios da Cidade Garantido era uma fábrica de sacarias de
juta, que fechou na década de 70.


publicidade
publicidade
Em Parintins, Boi Boiola realiza chegada das itens no próximo dia 28
SSP irá investigar a participação de policiais em roubo a banco em Parintins
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.