Terça-feira, 18 de Junho de 2019
Notícias

Choque elétrico é maior causa de queimaduras tratadas em hospital na capital do Amazonas

Referência no tratamento de queimaduras na região Norte, Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto atende pacientes que sofreram descarga elétrica, que são 70% dos casos



1.jpg Em média, 20 pessoas são atendidas todos os meses no CTQ do Hospital 28 de Agosto
04/01/2016 às 11:06

Os acidentes com fios de alta tensão são uma das principais causas de queimaduras em pacientes que procuram atendimento no Hospital Pronto-Socorro 28 de Agosto, unidade da Secretaria Estadual de Saúde (Susam).

O hospital, que completou 30 anos dia 2 de dezembro, possui o Centro de Tratamento de Queimados (CTQ) que é referência nesse tipo de atendimento na região Norte.

De acordo com o diretor da unidade, Paulo Mendonça, cerca de 70% dos pacientes que dão entrada no setor sofreram queimaduras em decorrência de terem recebido descarrega elétrica. As descargas, ele explica, podem ocasionar queimaduras de 3º grau, amputação de membros e até a morte.

Segundo Paulo Mendonça, esse tipo de acidente normalmente ocorre relacionado a ligações clandestinas de energia. “Orientamos a população a nunca fazer contato com fios de alta tensão, para evitar acidentes”, alerta.

Outras causas mais comuns de queimaduras que dão entrada no hospital são acidentes com chamas e líquidos quentes. O coordenador médico do CTQ, cirurgião plástico Carlos Medeiros, diz que a média mensal de atendimento de pacientes com queimaduras é de 20 pessoas.

O alerta do cirurgião plástico também se estende para o cuidado no manuseio de fogos de artifício durante festividades de um modo geral. “A demanda de vítimas cresce durante datas comemorativas e os acidentes acontecem por erro ao manipular o produto”, afirmou.

Ele recomenda à população que não segure o artefato com as mãos e utilize os fogos de artifício em áreas afastadas, para evitar que faíscas atinjam residências.

Cuidados

No caso de uma possível queimadura, o cirurgião plástico recomenda que seja colocado um pano úmido em cima do ferimento. “As soluções caseiras como pasta de dente, manteiga, gelo são contra-indicados nessa situação”, disse.

Carlos Medeiros também alerta aos pais para terem atenção redobrada com as crianças. “É preciso de proteção nas tomadas, cuidado com as bombinhas (estalos) – não oferecer à criança em grandes quantidades – e sempre colocar os cabos das panelas para o lado de dentro do fogão, fora da área de alcance dos pequenos”, explica.

Estrutura

O CTQ foi inaugurado em 2010, na ampliação do HPS 28 de Agosto. O centro conta com 20 leitos para atender pacientes com todos os graus de queimadura. A equipe é composta por cirurgiões plásticos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, psicólogos e assistentes sociais, para ajudar as vítimas na sua recuperação.

Demanda

Segundo o coordenador médico do CTQ, cirurgião plástico Carlos Medeiros, em média 20 pacientes são atendidos por mês.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.