Quinta-feira, 22 de Agosto de 2019
Saúde Regional

Cidades do Amazonas pedem até 2 anos para implantar prontuário eletrônico nas UBSs

Estado do Amazonas tem apenas dois municípios utilizando a plataforma exigida pelo Ministério da Saúde



saude4.jpg Januário Neto, da Cosems (último à dir.) em evento do último mês de outubro junto com o ministro Ricardo Barros (3º da esq. para dir.) / Foto: Divulgação
06/12/2016 às 05:22

A maioria dos municípios do Amazonas não reúnem condições para implantar o novo prontuário médico eletrônico nas suas Unidades Básicas de Saúde (UBS). A informação é de Januário Neto, presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Amazonas (Cosems), justificando que um dos principais entraves é a conexão deficitária de Internet nas cidades do interior do Estado.

A plataforma digital permite que todos os serviços de saúde do município possam acompanhar o histórico, dados e resultado de exames dos pacientes, além de verificar a disponibilidade de medicamentos. 

No último dia 6 de outubro, o  Ministério da Saúde divulgou que as Unidades Básicas de Saúde teriam até o dia 10 deste mês para adotar o prontuário eletrônico. 
Após este período, o pagamento do PAB Variável às prefeituras, equivalente a R$ 10 bilhões por ano, ficará condicionado à implantação do prontuário eletrônico, informou o ministério. Esse recurso é aplicado no custeio dos atendimentos de pediatria e vinculados a programas como Saúde da Família, Brasil Sorridente, entre outros.

Ontem, a 5 dias do fim do prazo do órgão federal, apenas dois municípios amazonenses haviam instalado o prontuário: Borba (a 215 quilômetros de Manaus e que já conta com a tecnologia há mais de 2 anos) e Presidente Figueiredo (a 107 km e que tem o sistema há 1 ano). 

Hoje, 76% das unidades básicas de saúde ainda registram o histórico do paciente em papel, apesar do Ministério das Comunicações trabalhar com dados onde, acredite se quiser, todas as cidades contam com ponto de Internet banda larga.

“Há dificuldades a serem enfrentadas sobretudo para nós do Amazonas e de toda a Região Norte, como as grandes distâncias, acesso, falta de eletricidade e ausência de Internet. O Ministério da Saúde criou uma cláusula onde o gestor tem que responder porquê não vai conseguir implantar o prontuário no prazo na UBS da sua cidade. Respondemos, por meio do Departamento de Atenção Básica de Saúde do Estado e Cosems, no questionário do sistema E-SUS, que o tempo necessário para instalação desses prontuários é entre 12 a 24 meses”, informa Januário Neto, que também é secretário municipal de Saúde de Itapiranga (a 339km de Manaus).

Ele encontra-se em Brasília para participar de eventos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e manter contatos com representantes do Ministério da Saúde.
A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa do ministério, para saber se o prazo que encerra no próximo dia 10 será prorrogado, bem como outras informações, mas não obteve retorno até o fechamento desta edição.

Conheça quais as vantagens da plataforma:

Com a plataforma digital, todos os serviços de saúde da cidade poderão acompanhar o histórico, os dados e resultado de exames dos pacientes, verificar em tempo real a disponibilidade de medicamentos ou mesmo registrar as visitas de agentes de saúde, melhorando o atendimento ao cidadão. A transmissão 100% digital dos dados da rede municipal à base nacional permite ainda que o Ministério da Saúde verifique online como está sendo investido cada real do SUS na saúde do brasileiro, o que é um dos maiores trunfos dessa nova novidade.

A plataforma digital permite o acompanhamento do histórico médico do paciente em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS), oferecendo ganho na qualidade e na gestão da Atenção Básica para o gestor, para os profissionais de saúde e para o cidadão.

Plataformas grátis

O Ministério da Saúde informa oferecer plataforma gratuita, mas o envio dos dados também pode ser feito pelos municípios por sistema próprio. De acordo com Januário Neto, o Cosema “entrou em contato com uma empresa de tecnologia e mandou encomendar uma plataforma off line para tornar possível a implantação do prontuário (o do Ministério da Saúde é on line)”. “Queremos adequar a plataforma do ministério à realidade do Amazonas, para enviar as informações via Intranet”, completa o presidente da Cosema e secretário de Itapiranga.

“O prontuário vai nos permitir eficiência, transparência, economia, como na consulta a exames e na oferta de medicamentos, e permitirá que o cidadão seja o fiscal do Sistema Único de Saúde. Até 10 de dezembro, já deveremos ter mais de 50% dos brasileiros com seu atendimento verificado no sistema de controle do Ministério da Saúde, para que seja atingido o objetivo da informatização dos mecanismos de controle de cada real do SUS”, destacou o ministro da Saúde, Ricardo Barros, durante o anúncio da medida, ainda em 6 de outubro deste ano. 

Cenário nacional

Das  41.688 UBS em funcionamento em 5.506 municípios, 10.134 (106,98 milhões de pessoas) já têm o Prontuário Eletrônico, sendo que 2.902 utilizam versões oferecidas gratuitamente pelo Ministério da Saúde, e 7.232 softwares próprios e privados. O Ministério da Saúde informou anteriormente querer economizar R$ 84 milhões por ano com tecnologias para informação. 

Frase

"Tratamos com o Ministério da Saúde e mostramos as nossas dificuldades em não implantar os prontuários” (Januário Neto, presidente do Cosems)

Blog

Tadeu Gerônimo, Secretário Municipal de Saúde de Novo Airão

"A situação do Município de Novo Airão é igual a de todos os outros que têm problemas de conectividade de Internet. Esse prontuário que o Ministério da Saúde quer implantar tem programas pesados para a nossa Internet que é fraca. No momento a cidade não comporta. Não temos essa ‘musculatura’. Para atender a essa prontuário a nossa teria que ‘coisa’ de via satélite, que é mais forte e mais potente. A saúde de Novo Airão é dividida em dois momentos. A primeira é a parte de média complexidade do Estado, que não vai boa, pois faltam médicos e insumos suficientes. A segunda é a saúde básica, que conta atualmente com 4 médicos e onde estamos esperando lançar o edital do Ministério da Saúde para conseguir mais um profissional. Neste momento estamos em Brasília representando o Conselho dos Secretários Municipais de Saúde do Amazonas no evento de comemoração dos 3 anos do Programa Mais Médicos".

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.