Publicidade
Cotidiano
NOTÍCIA RUIM

Cinco programas de pós-graduação da Ufam serão cancelados após manterem nota baixa

Os mestrados e doutorados que tiveram notas baixas, entre 1 e 2, envolvem áreas de Sociologia, Engenharia Civil, Comunicação Social e Saúde 20/12/2017 às 19:55
Show ufam 123
Ao todo, 36 cursos da Ufam foram avaliados pela Capes (Foto: Arquivo AC)
Amanda Guimarães Manaus (AM)

Cinco programas de pós-graduação stricto sensu (Mestrado/Doutorado) da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) mantiveram notas baixas, entre 1 e 2, no resultado final da Avaliação Quadrienal 2017 da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) do Ministério de Educação e serão cancelados. A lista foi divulgada nesta quarta-feira (20), após a análise dos pedidos de reconsideração enviados por programas acadêmicos, referentes às notas da 1ª etapa da avaliação.

Os programas que tiveram notas 2 foram Mestrado de Sociologia; Doutorado Interdisciplinar em Sociedade Cultura na Amazônia; Mestrado em Engenharia Civil; Mestrado em Ciências da Comunicação e o Doutorado em Ciências Pesqueiras nos Trópicos. O curso de Mestrado Interdisciplinar em Saúde, Sociedade e Endemias da Amazônia ficou com nota 1.

Na Ufam, os cursos que registraram nota 5 foram Mestrado/Doutorado em Informática e Mestrado e Doutorado em Administração. Os programas que registraram nota 4 foram Mestrado em História; Mestrado em Geografia; Mestrado em Engenharia Elétrica; Mestrado em Física, entre outros.

Ao todo, 36 cursos da Ufam foram avaliados pela Capes, órgão do Ministério da Educação responsável pelo reconhecimento e avaliação de cursos de pós-graduação em âmbito nacional. De acordo com a Capes, a nota mínima para avaliação é 3. Portanto, os cursos que não obtiverem esse número podem ser descredenciados. 

A Capes informou que a etapa de análise dos pedidos de reconsideração ocorreu entre 30 de outubro e 17 de novembro e foi realizada por comissões de área de avaliação renovadas em sua composição em 50% dos consultores que participaram na 1ª etapa, seguida pelas relatorias feitas por dois coordenadores de área e análise do Conselho Técnico-Científico da Educação Superior (CTC-ES), durante a 175ª Reunião realizada no período de 5 a 8 de dezembro de 2017.

Ufam se posiciona

Em nota, a Ufam não comentou sobre o cancelamento dos cursos, mas informou que está trabalhando para recuperar a sua política de Pós-Graduação, partindo da retomada imediata do Programa de Apoio à Consolidação e ao Avanço da Qualidade da Pós-graduação (PACPG), que nos anos anteriores, havia sido descontinuado. Para facilitar a compreensão da relevância do PACPG com vistas a resultados, o PACPG integra o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) com vistas ao planejamento, acompanhamento, avaliação sistemáticos e consolidação dos Programas de Pós-graduação no âmbito da Universidade Federal do Amazonas. Sua vigência seria de 2016 continuamente, até o ano de 2025. 

Sobre o pedido de reconsideração de notas de PPGs avaliados de forma insatisfatória, segundo a pró-reitora de Pesquisa e Pós-graduação, professora Selma Baçal, a Ufam logrou êxito nas revisões dos PPGs em História, que saiu da nota 3 para 4 e no PPG de Ciências da Saúde, que se manteve com o conceito 3. 

“A necessária articulação da Pós-graduação com a graduação passa, também, pela melhoria e inserção da Iniciação Científica no desenvolvimento da graduação e a Administração Superior da Universidade tem fortalecido ações de pesquisa, em especial, com a garantia de bolsas para que os jovens pesquisadores universitários se sintam motivados”, mencionou. 

Para finalizar, a pró-reitora ratificou os avanços. “Nós valorizamos o que melhorou. Engenharia Elétrica, por exemplo, que subiu de conceito 3 para 4, nos incentivou a requerer um Doutorado e assim fizemos com outros nove cursos stricto sensu, para os quais submetemos à Capes a Apresentação de Propostas de Cursos Novos (APCNs)”, finalizou.

Publicidade
Publicidade