Publicidade
Cotidiano
CADEIA

Cinco suspeitos de esquartejamento de ex-presidiário em Parintins são presos

Três foram presos em Parintins e outros dois foram capturados após fugirem para Nhamundá. Três deles confessaram participação no crime 14/02/2018 às 20:06
Show presos
acritica.com Manaus

As polícias de Parintins e Nhamundá prenderam cinco suspeitos de participar do esquartejamento do ex-presidiário Gilson dos Santos Silva, o Nexita. Ele foi encontrado morto no último domingo, sem a cabeça e com o braço direito e as pernas cortadas.

Kelven Azevedo Costa, o Kelvinho, e Diego Ribeiro da Costa, o 'Marcha Lenta', foram presos em Nhamundá, na comunidade do Laguinho, zona rural da cidade. Eles fugiram do cerco policial em Parintins e foram para o município, onde foram pegos pelos policiais militares que trabalham na localidade.

Os outros três foram presos em Parintins. Dênison Souza Costa, o Deninho, de 26 anos, desfilou com a cabeça de Nexita pelas ruas da cidade, de acordo com as investigações. Em depoimento, ele disse que esfaqueou a vítima depois que eles brigaram por conta do uso de bebidas alcoólicas. Ele ainda deu detalhes de como foi feito o esquartejamento.

Elielson Paz Barros, 34, admitiu ter participado do esquartejamento, segundo a polícia. Ele confessou ter ajudado a cortar a cabeça de Nexita. Já Dênison Souza Costa, o 'Luciano', 33, admitiu ter cortado as pernas da vítima e ajudado a esconder o corpo.

Publicidade
Publicidade