Terça-feira, 29 de Setembro de 2020
Contrato direcionado

Cobrado por contrato com dispensa de licitação, Josué Neto se diz 'perseguido'

Presidente da ALE disse que vai entregar ao MP documentos da contratação por R$ 9,5 milhões sem licitação da Criae Publicidade



zPOL0522-1_p01_E7E96D74-8930-49EA-8928-9F224C8F5182.jpg Foto: Divulgação
22/07/2020 às 09:00

O presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM) deputado estadual Josué Neto (PRTB) disse, durante a sessão plenária de ontem, que vai levar os documentos solicitados por A CRÍTICA ao Ministério Público do Estado (MP-AM). Há mais de 60 dias que o jornal pediu da ALE-AM cópias dos processos licitatórios e contratos com as empresas CRIAE Design e P S Publicidade, que já receberam da quase R$ 33 milhões da Casa Legislativa. 

Em seu discurso, Josué Neto afirmou que nos últimos três dias tem sido alvo de perseguição política pelo jornal A CRÍTICA. Na tarde de segunda-feira, o deputado utilizou as redes sociais para expor perguntas feitas pelo repórter Jefferson Ramos - a fim de inibi-lo -, a respeito de contrato de publicidade feito sem licitação.



O presidente utilizou 15 minutos, do tempo de 30 minutos para o grande expediente, falando sobre a, segundo ele, perseguição. Também segundo Neto, o contrato não é de publicidade. “É um contrato que os veículos de comunicação divulgam os trabalhos da Assembleia Legislativa. Inclusive, as TVs envolvidas focaram em divulgar trabalhos direcionado a colegas”, disse o parlamentar.

Contrato

Josué Neto continuou dizendo que o contrato visa divulgar as ações institucionais e que passou por todos os setores da Casa.  Afirmou que o contrato possui a modalidade de exclusividade e comparou com os contratos da Rede Calderaro em relação à transmissão de eventos como Festival de Parintins, Campeonato Amazonenses, Cirandas de Manacapuru e outros.

O parlamentar disse também, em tom de ironia, que o reality show ‘Peladão a Bordo’, produzido pela TV A Crítica é de grande relevância e definiu o programa como “o reality das meninas bonitas a bordo de um grande iate”.

Ele afirmou que era “o queridinho do A Crítica”. “Até alguns dias atrás o jornal A Crítica me tratava como o queridinho. O Josué Neto era o queridinho do grupo A CRÍTICA. Eu não sei o que aconteceu, ou melhor, acho que aconteceu alguma coisa que mudou essa relação, a partir do momento que aprovamos uma CPI na área da saúde, recebemos um pedido de impeachment do governador, que todo o Amazonas sabe que é ligado ao grupo A CRÍTICA”, acusou.

Disse que a partir do momento em que começou a “cobrar sobre o gás, tudo mudou”. Chamou o governo de Wilson Lima de ‘Desgoverno de Nárnia do Amazonas’.

O presidente da ALE-AM imprimiu 15 matérias publicadas pelo jornal A Crítica e leu os títulos na tribuna e disse que as matérias eram positivas em relação à Casa e que envolviam ele. A grande maioria das pautas tratava sobre a ALE-AM, onde Josué é o presidente.

Josué sugeriu que estava sendo criado uma cortina de fumaça e que as recentes denúncias feitas por A CRÍTICA só estariam acontecendo porque o grupo, segundo Josué, não seria beneficiado pelo contrato e que 90% das TVs do Estado seriam.

“Não atende a TV do grupo porque eles não quiseram, não por uma perseguição minha à TV. O grupo A CRÍTICA não quis receber esses recursos”, disse Neto.

Ele finalizou dizendo que vai levar o contrato ao MPE e afirmou que a casa teria em caixa, aproximadamente, R$ 31 milhões.

Direcionado

No domingo, reportagem de A CRÍTICA mostrou que a ALE-AM, no início deste ano, firmou um contrato de R$ 9,5 milhões com a Criae Publicidade com indícios de direcionamento, sem a realização de concorrência pública com outras empresas do ramo que atuam em Manaus. A empresa pertence ao empresário Orlando Coimbra Neto, amigo de Josué Neto.

Saiba mais

No dia 15 de maio, A CRÍTICA solicitou por email da Diretoria de Comunicação da ALE-AM os seguintes documentos:  cópia do processo licitatório, na íntegra, que resultou na contratação da empresa Criae Design e Publicidade; parecer  nº 03/2020-PGA, da Procuradoria-geral da ALE-AM, emitido pela procuradora–geral adjunta; despacho da Mesa Diretora em reunião do 31 de janeiro de 2020; cópia do contrato com a Criae; assim como cópia do processo de licitação, que fundamentou o contrato com a empresa P S Publicidade, contrato e termos aditivos.

Maria Luiza Dacio
Repórter do Caderno A do Jornal A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.