Publicidade
Cotidiano
Notícias

Com 100 funcionários dispensados ontem (27), Samsung é empresa que mais demitiu

Até agora, cerca de 15 mil postos de trabalho na indústria amazonense foram perdidos, culpa do fraco desempenho da economia e das medidas do governo federal 28/05/2015 às 10:07
Show 1
Líder no segmento de eletroeletrônicos no Brasil, a Samsung produz em Manaus tablets, smartphones, monitores e TVs
Cinthia Guimarães Manaus (AM)

A Samsung Eletrônica da Amazônia, a segunda maior empresa do Distrito Industrial, acrescentou mais 100 trabalhadores na fila do desemprego, somando cerca de 700 demissões ao longo de 2015. Na manhã de ontem, 100 trabalhadores compareceram ao Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindimetal) para homologar a dispensa, disse o presidente da entidade Valdemir Santana.

Até o início do mês, a multinacional sul-coreana havia demitido 563 pessoas de sua fábrica local, responsável por produzir condicionadores de ar, tablets, smartphones, DVDs, blu-rays, câmeras de vídeo, câmeras fotográficas, rádios, televisores, monitores de informática e placas diversas.

As demissões afetam ainda mais o setor de eletroeletrônicos, responsável por 30,6% do faturamento e mais de um terço dos empregos gerados do PIM. Este ano as empresas que mais dispensaram operários foram LG (-458 vagas), Whirlpool (-386 vagas), Moto Honda (-375 vagas), Cal-Comp (-286 vagas) e Microsoft (-270 postos), de acordo com o Sindimetal.

A chinesa Lenovo, por exemplo, resolveu transferir sua produção de notebooks para o Estado de São Paulo e decidiu manter apenas a fabricação de placas em Manaus, dispensando cerca de 2 mil trabalhadores.

Santana explicou que os dispensados fazem parte da mão de obra por tempo determinado, ou seja, trabalhadores contratados para uma atividade específica com prazo estabelecido e que são dispensados após a produção daquele bem ser encerrada.

“São alguns funcionários por tempo determinado demitidos. Entre 90 e 100 pessoas. Quando é acima de 20 pessoas estamos conversando com a empresa, o que é demissão em massa. O trabalhador por tempo determinado é diferente do temporário”, disse.

Saldo negativo

Até agora cerca de 15 mil postos de trabalho na indústria amazonense foram perdidos, culpa do fraco desempenho da economia e das medidas do governo federal que impactam negativamente a produção, as vendas para o varejo nacional e o faturamento das empresas.

Os indicadores da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) demonstram que enquanto foram admitidos 12.319 trabalhadores, enquanto 14.181 foram mandados embora, o que gerou um saldo negativo de 1.862 empregos.

Em resposta, a Samsung informou apenas que “é uma das empresas que mais emprega no Polo Industrial de Manaus. Contratamos novos funcionários durante todo o ano e temos mantido nosso quadro de funcionários estável”. A direção não confirmou o número de pessoas dispensadas.

Publicidade
Publicidade