Publicidade
Cotidiano
Notícias

Com a ameaça de recessão econômica no país, confira dicas de como reduzir gastos

Para o presidente do Corecon-AM, Marcus Evangelista, o melhor caminho para se preparar para ela é iniciar rapidamente um planejamento financeiro doméstico 20/02/2015 às 20:23
Show 1
“O planejamento é um importante instrumento para a família que pretende ter suas contas pagas em dia", disse o economista
ACRITICA.COM Manaus (AM)

O risco de haver uma recessão na economia brasileira no próximo semestre liga o alerta dos chefes de família que temem pelo comprometimento do orçamento doméstico com as despesas mensais do dia a dia.

Tecnicamente, entende-se por recessão o período de dois trimestres em que ocorre a contração no ciclo econômico com a retração geral da atividade da atividade produtiva (medida pelo Produto Interno Bruto); aumento do desemprego; redução da taxa de lucro e aumento do número de falências.

No último dia 13 deste mês, o Banco Central sinalizou que o Brasil deve enfrentar uma recessão em 2015, dando conta que a riqueza produzida por famílias e empresas encolheu 0,15% em 2014 e sugerindo que, neste semestre, o período também será fechado com um saldo negativo.

Para esperar por esse momento delicado da economia, o presidente do Conselho Regional do Amazonas (Corecon-AM), Marcus Evangelista, afirmou que o melhor caminho para o chefe de família se preparar financeiramente é iniciar o mais breve possível um planejamento financeiro doméstico.

“O planejamento é um importante instrumento para a família que pretende ter suas contas pagas em dia, principalmente, em épocas de crise. O principal objetivo da medida é organizar a vida financeira da família para que seus membros possam ter reservas para imprevistos”, explicou Marcus.

Ele disse que após realizado um levantamento sobre receitas, despesas diárias e projeção de reservas é importante, acima de tudo, que haja muita disposição para mudar o hábito de consumo.

“Consumir tudo de qualquer forma e a qualquer preço é onde estar o verdadeiro ralo por onde escorre o dinheiro”, alertou Marcus, lembrando que o planejamento começa sempre pela elaboração de um orçamento financeiro. “Assim como o governo e as empresas precisam de um orçamento para  organizar suas contas, com a família não é diferente”, disse.

A falta de um orçamento com metas de receitas e despesas deixa, segundo o especialista, a família vulnerável à tentação do consumo imediatista e desenfreado. “O consumo exagerado acima das condições financeiras de uma família pode gerar  uma crise em cadeia com a negativação do responsável pela dívida e consequentemente o impedimento de realizar novas compras, reduzindo o poder de crédito da família em um momento delicado, de crise”.

Dicas  

O primeiro passo para tentar economizar nos gastos domésticos é conhecer quais são esses gastos. “Saber o que entra e o que sai em relação ao seu dinheiro é uma boa maneira de começar a se localizar nos seus gastos”, afirmou Marcus Evangelista.

Outro passo apontado pelo especialista é ficar de olho nas compras.  “Esta dica está relacionada a supermercados, shoppings, feiras, todos os lugares em que você faz compras para o seu lar. O ideal para não gastar mais do que o necessário é sempre sair de casa com uma lista em mãos das demandas individuais e coletivas”, comentou.

Por final, no momento de crise, o chefe de família precisa ponderar sobre a relação do consumo e uso de certos serviços e produtos dentro de casa, como o gás, a energia elétrica, a água e o telefone. “Nesse caso é necessário convocar toda a família para explicar o momento difícil e pedir controle e racionamento na utilização desses itens”, concluiu o presidente do Corecon/AM. 

Publicidade
Publicidade