Publicidade
Cotidiano
Notícias

Com intensas discussões, 'blocão' de oposição e governistas travam primeira batalha na ALE-AM

A base de oposição ao governador José Melo travou um duelo na Assembleia Legislativa do Amazonas nesta quinta (4), quando uma manobra orçamentária do governo estava em votação 04/12/2014 às 15:00
Show 1
Belarmino Lins presidiu a sessão, desfalcando ala de oposição e irritando membros do blocão, como o líder do PMDB Marcos Rotta, que capitaneou investidas do grupo
Raphael Lobato Manaus (AM)

O plenário da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM) foi palco, ao longo desta quinta-feira (4), da primeira batalha entre o "blocão" de oposição e a base aliada do governador José Melo (Pros). A oposição concentrou esforços para evitar a aprovação de uma manobra orçamentária do governo, que retira recursos de fundos especiais para aplicar em gastos de custeio. Sem sucesso, a proposta foi aprovada por maioria.

A discussão foi puxada pelo deputado Chico Preto (PTN), que mobilizou grande parte dos deputados de partidos que fizeram o palanque do senador Eduardo Braga (PMDB) nas eleições. Do PMDB, o deputado Belarmino Lins presidiu a sessão, desfalcando ala de oposição, e combateu maratonas de pedidos de adiamento e emendas. Enquanto isso, o presidente Josué Neto (PSD) engrossou a bancada governista no plenário.


A postura de Belarmino irritou membros do blocão e o líder do PMDB, Marcos Rotta, que capitaneou as investidas do grupo ao longo da sessão. “O senhor deveria descer e votar junto com o partido. O senhor diz que obedece o regimento, mas não obedece a orientação partidária”, disse. Também não acompanhou a investidas do grupo o deputado Adjuto Afonso (PP). 

A sessão foi marcada por intensos bate-bocas e troca de acusações entre as bancadas. O deputado David Almeida (PSD) chegou a acusar o grupo de manobrar para boicotar a sessão, quando os governistas já eram maioria presente. "Estão saindo do plenário agora, estão querendo fechar a sessão", disse. O líder do governo na casa, Sidney Leite (Pros), combateu o discurso do grupo com dados de governo.

Publicidade
Publicidade