Publicidade
Cotidiano
Alimentos

Com sabor de sucesso: Sapore, inaugura duas unidades no PIM

O primeiro semestre de 2016 tem sido cheio de atividades para a empresa de serviços alimentícios, segundo o seu diretor comercial, Marecelo Veneziano. 17/07/2016 às 03:45 - Atualizado em 17/07/2016 às 19:47
Show 1108673
A Sapore que abriu em junho uma nova unidade na fábrica Videolar agora terá 15 unidades na capital amazonense. (Foto: Divulgação)
Lucas Jardim Manaus (AM)

A recessão econômica pode ter afetado o Polo Industrial de Manaus (PIM), mas, se depender de recentes investimentos feitos no distrito amazonense, o futuro será de dar água na boca. O segmento de restaurantes corporativos, por definição bastante ligado ao desempenho da indústria e do setor de serviços, está ganhando um respiro em Manaus com as novas unidades implantadas pela Sapore em empresas locais. A mais recente, localizada dentro das instalações da Innova, foi inaugurada esta semana.

O primeiro semestre de 2016 tem sido cheio de atividades para a empresa de serviços alimentícios, segundo o seu diretor comercial, Marecelo Veneziano: além do restaurante na Innova, a empresa abriu um dentro da Videolar no mês passado e tem a expectativa de abrir outros dois, um em uma fábrica do polo de duas rodas e outra em uma empresa de logística, até o início de agosto. 

Com todas essas inaugurações, a Sapore terá 15 unidades na capital amazonense, um número que mostra a força da relação da empresa com Manaus, que já dura dez anos. “Temos um trabalho forte na cidade, com cerca de 300 colaboradores locais que conhecem o mercado e conhecem os hábitos nutricionais dos trabalhadores do Amazonas, que são bem específicos. Há seis meses, nós decidimos expandir esse trabalho, de forma a consolidar nossos serviços na Região Norte. Nesse sentido, Manaus é ideal para o nosso negócio, por apresentar uma concentração industrial muito grande”, disse Marcelo.

O setor

A empresa, que opera 1.100 restaurantes no Brasil, México e Colômbia, reconheceu que a crise bateu forte e ocasionou várias mudanças, mas também criou oportunidades. “É claro que o período de recessão impactou as nossas operações. Em uma empresa em que servíamos duas mil refeições, passamos a servir 1,5 mil. A crise reduziu os nossos mercados, mas essa redução está sendo recuperada pelo crescimento comercial”, declarou o diretor comercial da Sapore.

Essa crença nas oportunidades levou a Sapore a investir cerca de R$ 650 mil apenas nas quatro unidades manauaras mencionadas nesta matéria, que eles preveem recuperar nos primeiros 16 meses de operação. Ao todo, 80 novos postos de trabalho serão criados. 

“A situação econômica do Brasil não é nada favorável, apesar da troca que aconteceu no governo. No entanto, o atual cenário está nos permitindo olhar para a frente, ao contrário de antes, quando estávamos imobilizados. Apesar da crise, tem sido um momento fantástico para a Sapore, com muitas portas sendo abertas”, falou Marcelo, que destacou que o faturamento da empresa efetivamente de R$ 1,3 bi para R$ 1,4 bi entre 2014 e 2015, com a previsão de fechar 2016 em R$ 1,7 bilhões.

Farinha no cardápio

O diretor da Sapore destacou os hábitos alimentares únicos dos trabalhadores do Amazonas que fazem com que o serviço da Sapore em Manaus seja diferente do resto de suas unidades. “Em outras localidades, é normal o serviço ser em porções, mas todas as unidades amazonenses são self service, para o usuário comer bem à vontade. Outro diferencial é a inclusão de elementos bem locais, como a farinha de Uarini e o caldo que é servido no almoço. No Sul, caldo costuma ser servido para esquentar no período frio, mas em Manaus, pelo que nos foi reportado, as pessoas tomam caldo independente da temperatura”.

Publicidade
Publicidade